Limpeza do rio Jaguaribe chega ao trecho entre Beira Rio e Epitácio

Por - em 46

A limpeza emergencial do rio Jaguaribe feita pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) atingiu o trecho localizado entre as avenidas Beira-Rio e a Epitácio Pessoa. Essa operação teve início em abril e já avançou seis dos 13,5 km de extensão do rio.
O trabalho de limpeza vem sendo acompanhado de perto pelo superintendente da Emlur, Deusdete Queiroga Filho, e dos diretores de Operações, Orlando Soares, do Departamento de Resídos Sólidos, Varrição e Coleta (Devac), Noé Estrela.
  
Orlando Soares explicou que a Emlur está realizando apenas a retirada da vegetação e dos resíduos para que a vazão do rio atinja a níveis desejáveis, evitando alagamento com as chuvas. A dragagem para o desassoreamento do rio, obstruído por areia e outros sedimentos em consequência da redução da correnteza, está contemplada no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que prevê a revitalização e reurbanização do maior rio da Capital.

Reforço – Para a limpeza no rio, a equipe aquática da Emlur foi reforçada e sessenta homens estão realizando o serviço. Desde que começou já foram retirados aproximadamente 300 toneladas de lixo e vegetação. Mesmo os agentes de limpeza, acostumados com esse trabalho todos os anos, se surpreenderam com a quantidade de lixo na água. “Desde bicho morto, geladeira, sofá, televisão, computador, pneus, sacos de lixo, documentos, tudo. É um pecado o que estão fazendo com o nosso rio, disse Josenilton Silva, monitor da equipe Aquática. Além das máquinas, a equipe Aquática utiliza um barco para soltar a vegetação e o lixo.

O superintendente Deusdete Queiroga Filho lamentou a quantidade de lixo e vegetação retirada de dentro do rio. “É preciso que a população tenha consciência quanto à importância de se preservar o Jaguaribe”, disse. Segundo ele, a Emlur faz a sua parte limpando o rio, mas a população ribeirinha, aquela que reclama e cobra ações do poder público para evitar que suas residências sejam inundadas, não pode esquecer de que precisa contribuir para manter o rio limpo.

Em toda área ribeirinha, a Emlur tem feito um trabalho de educação ambiental conscientização sobre o acondicionamento correto do lixo e os transtornos causados quando o lixo é lançado dentro do rio. “Nossas equipes ambiental e de fiscalização também realizam um trabalho de sensibilização com a população ribeirinha para que não jogue o lixo no rio. Esse rio é o mais importante da capital paraibana, ainda rico em biodiversidade deve ser preservado”, completou o titular da pasta.