Livro “Varadouro” conta em verso e prosa a história de João Pessoa

Por - em 236

A Prefeitura Municipal de João Pessoa lançou nesta terça-feira (6) a 5ª edição do livro “Varadouro”, do escritor e poeta paraibano Políbio Alves. A obra foi relançada especialmente em comemoração ao Ano Cultural 2011 Políbio Alves, um projeto da PMJP, realizado por meio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Sedec), com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de atividades pedagógicas e, ao mesmo tempo, valorizar o trabalho de artistas da terra. O evento aconteceu no Salão Panorâmico da Estação Cabo Branco.

Na nova edição, o livro “Varadouro” ganhou uma diagramação diferenciada na capa que pincela personagens do bairro Varadouro, da cidade de João Pessoa, da religiosidade e arquitetura. O prefeito Luciano Agra, que na ocasião foi representado pelo Secretário de Desenvolvimento Social, Lau Siqueira, e a Secretária de Educação e Cultura, Ariane Sá, escreveu na obra um texto de apresentação em relação ao poeta e ao Ano Cultural, respectivamente.

Em “O Jardineiro Poeta”, texto escrito por Agra, ele ressalta as qualidades de Políbio Alves. “Um dos maiores escritores da Paraíba ao abraçar com intuição e inventividade a tarefa de perpetuar, numa poesia poética universal, os cantos, recantos, seres e coisas deste chão chamado João Pessoa”, escreveu o prefeito.

Segundo Ariane Sá, através dos versos, o poeta consegue recuperar toda a história da Paraíba. “A obra retrata desde a descoberta, até a construção e habitação da cidade de João Pessoa. É um livro que pode ser utilizado nas escolas tanto por professores de português, quanto de história e geografia”, afirmou. Lau Siqueira completou: “Ninguém pode estudar a história da Paraíba sem conhecer a obra de Políbio Alves”.

Para Políbio, a homenagem foi recebida com grande surpresa, pois seu grande sonho era ser lido e reconhecido na cidade em que nasceu e vive. “É muito gratificante poder saber e ver que as crianças estão lendo a minha obra nas escolas. Elas lêem os meus versos, sabem meu nome e conhecem a cidade através do meu livro”, revelou.

Ano Cultural – Através do projeto Ano Cultural, a PMJP, por meio da Sedec, homenageia um artista da terra em sua produção intelectual e artística. Esta é a 5ª edição do projeto, que fomenta o desenvolvimento de atividades pedagógicas nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) e Centros de Referência em Educação Infantil (CREIs) baseado na vida e obra dos homenageados.

Em 2011, Políbio Alves é o artista exaltado através da obra “Varadouro”, escolhida para dar suporte aos trabalhos desenvolvidos pelos alunos da rede municipal de ensino. No texto, o autor convida o leitor para participar de uma viagem lírica sobre o Rio Sanhauá, narrando acontecimentos históricos, épicos do passado e presente. Tais fatos nos remetem, particularmente, à conquista e ocupação da Paraíba.

Dentro desta temática, o Ano Cultural 2011 Políbio Alves também está homenageando a atriz Zezita Matos e a coreógrafa Adjane Pontes, na promoção de dois Festivais: o de Teatro e o VII Festival de Dança.

De acordo com Zezita, o Projeto cuida das ‘pratas da casa’. “Através dele os alunos conhecem o trabalho dos artistas paraibanos, principalmente os que ainda estão vivos e que podem trazer experiências construtivas e interagir com as crianças. É um projeto que tem uma dimensão social muito grande, com todas as nuances de um projeto pedagógico interdisciplinar”, elogiou.

Políbio Alves – Nascido em João Pessoa em 1941, Políbio Alves é poeta e contista, graduado em Ciências Administrativas. Tem quatro livros publicados (“O Que Resta dos Mortos”, “Varadouro”, “Exercício Lúdico – Invenções de Armadilhas” e “Passagem Branca”), além de trabalhos em antologias e periódicos nacionais e internacionais. Detém prêmios literários no Brasil e no exterior.

Em 2001, Políbio Alves recebeu a Medalha “Poeta Augusto do Anjos”, da Assembleia Legislativa da Paraíba e, em 2002, a comenda Cidade de João Pessoa, da Câmara Municipal da capital paraibana. Este ano ele foi homenageado pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) com uma placa em bronze do poema épico ‘Varadouro’, na Praça Antenor Navarro, no Centro Histórico.