Lô Borges canta ‘histórias do Clube’ em show na Praça Antenor Navarro

Por - em 56

Completando 38 anos de carreira em 2008, o cantor e compositor Lô Borges, representante do movimento ‘Clube da Esquina’, mostrou que está em plena forma no palco, durante o show que realizou na última sexta-feira (11), na Praça Antenor Navarro, no centro da Capital. O cantor foi uma das atrações do ‘Estação Nordeste, que teve início no último dia 4 e prossegue até o dia 25, levando muita música para a o Busto de Tamandaré (Tambaú) e diversas praças de João Pessoa.

Durante cerca de uma hora e quarenta minutos Lô Borges cantou músicas de seu mais novo cd ‘Bandha’ e seus grandes sucessos do tempo do Clube da Esquina, que fizeram o público de fãs cantar e reviver muitas emoções. Este foi o primeiro show do cantor e compositor que tocou acompanhado dos músicos Giuliano Fernandes (guitarras e sitar), Renato Valente (baixo), Robinson Matos (bateria) e Gerson Barral (teclados e synths).

Fã de Lô Borges desde o tempo do Clube da Esquina, a professora universitária e atriz Eleonora Montenegro disse que o cantor marcou sua geração. “Fico relembrando os primeiros festivais de Areia, minha entrada na universidade, nossa luta contra a censura. O Clube da Esquina foi um LP que nos trazia esperança, liberdade e nos fazia pensar que a união fazia a força. Também nos fazia acreditar na utopia de mudar o mundo e que paz é possível”, conta.

Bona Akotirene, de apenas 18 anos, disse que teve a oportunidade de conhecê-lo por influência de seus pais. “Ouvia Cd’s e DVD’s dele. Estou adorando o show.”. Ela destacou ainda que tem acompanhado todos os shows do Estação Nordeste e que não vê a hora de assistir as apresentações de Zélia Duncan e Luiz Melodia. “Show bom é pra vir mesmo”.

Geane Lucena elogiou a iniciativa da Prefeitura de João Pessoa de realizar shows desse tipo. “A capital é bombardeada pelo forró. A Prefeitura precisa fazer mais shows como esse. Isso precisa ser resgatado”.

Na platéia, um público de várias gerações cantou junto ‘Quem sabe isso quer dizer amor’, ‘Tudo em cores pra você’, ‘Feira moderna’, ‘Clube da Esquina 2’, ‘Qualquer lugar’, ‘Um dia e meio’, ‘Clube da Esquina’, ‘Segundas Mornas’, ‘Dois Rios”, ‘Nossa mágica’ ‘Tudo o que você podia ser’, ‘Vento de Maio’, “Gira”, ‘Trem azul’, ‘Pode esquecer’, ‘Um Girassol da Cor do Seu Cabelo’, ‘Paisagem da Janela’ e ‘Para Lennon e McCartney’.

Lô Borges falou da satisfação de fazer seu primeiro show do ano na Capital paraibana. “Estive aqui na década de 70. Senti uma interação muito grande com o público. É fantástico ver pessoas de todas as idades cantando músicas que fiz aos 19 anos de idade, no início de minha carreira e perceber que elas são atemporais”.

Na quinta noite do Estação Nordeste, Lô Borges dividiu o palco com as atrações locais Dida Fialho e Tocaia da Paraíba. O evento é realizado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) com o apoio do Governo Federal, através do Ministério do Turismo.

Encerramento
– Formada por Francisco Limeira (contrabaixo e cavaquinho), Fabiano Lira (percuteria), Erivan Araújo (violão, viola de repente e guitarra) e Pegado (violão, viola de repente e guitarra), a banda Tocaia da Paraíba encerrou a noite de apresentações e continuou animando o público com sucessos como “Mei de Feira”, “Zefa Cajá”, “Tabajara”, “O Cravo”, “Farol”, “Sossego”, “Bloco de Coco”, entre outros.