Luar do Sertão abre o projeto ‘Sobremesa’ nesta quinta-feira

Por - em 29

A população pessoense ganha mais um espaço para ouvir boa música gratuita. O projeto ‘Sobremesa’ começa nesta quinta-feira (30), na Praça Rio Branco, Centro Histórico, das 12h30 às 13h30. O local foi recentemente revitalizado pela Prefeitura da Capital. A atração dessa semana será o grupo paraibano de choro Luar do Sertão. A iniciativa é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

A ideia é levar música executada por grupos e artistas paraibanos aos transeuntes do centro da cidade. O evento acontece todas as quintas-feiras, na Praça Rio Branco, durante o horário de almoço. O espaço onde as atrações se apresentam faz parte do Conjunto Arquitetônico da Capital pertencente ao Patrimônio Histórico Nacional.

Com explicou o assessor pedagógico da Funjope, Pedro Osmar, o nome do projeto faz também alusão a uma iniciativa cultural dos anos 80, que existia no Centro de Vivências, do campus da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) da Capital. “Naquela época era um evento mais voltado para estudantes, com a participação de artistas locais. Agora, o projeto ‘Sobremesa’, da Funjope, tem um público alvo mais ampliado e o projeto é disponível gratuitamente para toda a população”, ressaltou.

A Praça Rio Branco, conhecida também como Praça do Erário, fica em frente ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entre as ruas Visconde de Pelotas e Duque de Caxias. O local foi recuperado graças a uma parceria do Iphan com a Prefeitura de João Pessoa. Agora, o logradouro será utilizado como mais um espaço de lazer e cultura da cidade.

O chorinho do Luar do Sertão – ‘Carinhoso’ (Pixinguinha), ‘Pedacinho do Céu’ e ‘Delicado’ (ambas de Valdir Azevedo), ‘Noites Cariocas’ e ‘Dança de Coco’, (Jacó do Bandolim); ‘Saxofone Porque Choras?’ (do paraibano de Itabaiana, Ratinho) e ‘Homenagem à Velha Guarda’ (Sivuca) são alguns clássicos do chorinho que sempre estão incluídos no repertório do Luar do Sertão.

O ‘Luar do Sertão’ pertence ao Clube do Choro da Paraíba. O grupo foi fundado há cerca de 15 anos. O choro é um tipo de música representada pelo encontro do violão e cavaco que parecem “choramingar”. O gênero surgiu por volta de 1870, no Rio de Janeiro.