Agra assina termo de cooperação para ‘Projeto Acesso Cidadão’

Por - em 40

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) agora faz parte do projeto ‘Acesso Cidadão – ao lazer, esporte, arte e cultura’, que irá promover a fusão de esportes, lazer, cultura e artes para pessoas com mobilidade reduzida. O prefeito Luciano Agra assinou o termo de cooperação entre a PMJP, Governo do Estado e Assessoria Consultoria para Inclusão Social (ACSocial), na noite desta terça-feira (16), em solenidade em uma estrutura montada na Praia do Cabo Branco, em frente à Fundação Casa de José Américo.

A assinatura do termo de cooperação faz parte do pacote de ações preparados para o mês de agosto, em comemoração aos 426 anos de fundação da cidade.

O projeto tem como objetivo preparar a cidade para oferecer condições confortáveis de locomoção aos portadores de alguma necessidade física. A Fundação Casa de José Américo será toda equipada para atender às necessidades de pessoas com mobilidade reduzida, além da praia do Cabo Branco, que também receberá caminhos projetados atender às necessidades especiais. A expectativa é de que até o final deste ano todas as projeções do ‘Acesso Cidadão’ estejam disponíveis à população.

“A PMJP entra com força total neste projeto. Acreditamos que promover à inclusão social através da mobilidade é direito e dever de todo o cidadão. Vamos equipar todos os aparelhos públicos para que qualquer pessoa possa utilizá-lo e é muito satisfatório que haja essa convergência do poder público para tornar a acessibilidade uma realidade em João Pessoa”, disse Luciano Agra.

O prefeito destacou que o projeto nasce da necessidade de uma iniciativa de políticas públicas que contemple até 15% da população – segundo o Censo 2010, do IBGE, cerca de 700 mil pessoas possuem algum tipo de deficiência na Paraíba. Segundo Luciano Agra, a PMJP irá aderir integralmente às propostas do projeto “Acesso Cidadão”.

O projeto – Embora seja um projeto multi-institucional, o “Acesso Cidadão” está sob a coordenação da Secretaria de Planejamento (Seplan) da PMJP. O projeto contempla a capacitação de profissionais para viabilizar acessibilidade em diversos pontos da Capital.

Eventos esportivos, artísticos e recreativos serão adaptados para que qualquer pessoa com mobilidade reduzida possa participar. Na praia do Cabo Branco haverá modalidades como surf adaptado e vôlei sentado. Na Fundação Casa José Américo, os visitantes poderão ler todas as obras e ‘braile’ e ter acesso livre às dependências do local.

Para a secretária da Seplan, Estelizabel Bezerra, afirma que com a adesão ao “Acesso Cidadão”, a PMJP mostra que tem um conceito alargado de cidadania. “Para nós, cabe todas as pessoas na cidadania. Essa convergência de esforços contempla o aperfeiçoamento de saber das pessoas que possuam qualquer restrição de mobilidade. Esperamos que a sociedade acolha bem este projeto e que todos possam estar despidos de qualquer preconceito par concretizar a acessibilidade”, disse.

Apresentações artísticas – Antes da assinatura do termo de cooperação, o público que compareceu à Praia do Cabo Branco pode conferir quatro apresentações artísticas com integrantes ligados a associações de pessoas com mobilidade reduzida.

Houve a apresentação da banda ‘Acredite’, do Centro de Atividade Especial Helena Holanda, além de banda de pagode, dança de rumba de cadeirantes e apresentação de circo da Fundação de Apoio ao Deficiente (Funad)