Luciano Agra autoriza licitação para mercado do Cidade Verde

Por - em 46

O prefeito da Capital, Luciano Agra, assinou no final da tarde desta terça-feira (17) a abertura de licitação para a construção do Mercado Comunitário do conjunto Cidade Verde, que fica na Rua Martinho Faustino da Costa. O mercado será construído com recursos próprios da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), da ordem de R$ 870 mil, no modelo de mercado padrão confeccionado pela Secretaria de Planejamento (Seplan).

“Nós estamos aqui não é fazendo nenhum favor à comunidade do Cidade Verde e, sim, cumprindo com o nosso papel de gestores públicos, direcionando os recursos para viabilizar o bem comum. Essa é uma demanda do povo, a prefeitura viu essa necessidade, assim como viu tantas outras já realizadas, como a construção de escolas, pavimentação, implantação de equipes do PSF e de postos de saúde, entre tantas outras”, destacou o prefeito de João Pessoa, Luciano Agra.

O mercado irá dispor de 18 boxes com 11,19 m² no pavilhão central e uma área de feira livre, além de uma área de administração, banheiros coletivos e adaptados aos portadores de necessidades especiais. Outra característica do projeto será o bicicletário, estacionamento de bicicletas. O projeto prevê ainda o plantio de árvores de grande a médio porte nos locais de passagem.

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano, Lucius Fabiani, esse é um momento de alegria, pois é mais um equipamento que chega ao Cidade Verde para melhorar a qualidade de vida das pessoas. “Essa é uma vitória não só dessa administração mais de toda a população que buscou essa conquista, a exemplo dos companheiros do orçamento participativo, que levaram essa demanda, opinaram e decidiram. Além do Cidade Verde, outros locais foram e serão beneficiados com a construção e recuperação de seus mercados, como o Valentina, o Mercado Central, o do Peixe em Tambaú, do Bessa e agora o de Oitizeiro, Cruz das Armas, Rangel e do Costa e Silva, que teve sua ordem para a licitação assinada esta manhã”, frisou.

Para o pequeno comerciante José Tavares, a obra será uma benção para todos. “Quando necessitamos de comprar frutas ou verduras temos que ir a outros mercados, como o de Mangabeira ou o Central, que é muito longe. Depois da construção iremos poder comprar tudo fresquinho perto de nossas casas, além do que, para quem trabalha com verduras será ainda melhor”, comemorou.