Luciano Agra inicia entrega de óculos a alunos da rede municipal

Por - em 55

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) iniciou nesta sexta-feira (19) a entrega de óculos de grau para os alunos da rede municipal de ensino, na Escola Aruanda, nos Bancários, pelo Programa Saúde do Estudante. Foram entregues 200 unidades aos estudantes com problemas oftalmológicos e a PMJP vai investir R$ 1,881 milhão com a realização de consultas e exames também na área de otorrinolaringologia em todas as escolas, identificando problemas e disponibilizando lentes e armações, e tratamento médico, se necessário.

“A PMJP percebeu que havia uma perda de rendimento escolar de alguns alunos e uma das razões identificadas foi a dificuldade de visão apresentada pelos estudantes. Sanando este problema, vamos melhorar a qualidade do ensino e o aproveitamento dos alunos”, afirmou o prefeito Luciano Agra.

De acordo com ele, serão realizados 20 mil exames nos alunos da rede pública de ensino para identificar a necessidade de tratamento ou do uso dos óculos. No ano passado foram feitos 15 mil exames e a PMJP entregou 4,2 mil óculos.

“Neste ano a quantidade de atendimento vai aumentar porque estamos incluindo as crianças dos Centros de Referência em Educação Infantil (Creis) e os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em troca, nós queremos um melhor rendimento escolar e o aumento da nota do Ideb”, destacou o prefeito.

A secretária de Educação, Ariane Sá, explicou que neste ano também serão realizadas consultas de otorrinolaringologia. “O Programa Saúde do Estudante funciona com a ida dos médicos à escola. As visitas começaram em julho e o oftalmologista avalia se há problemas na visão, enquanto o otorrinolaringologista analisa a garganta, os ouvidos e as vias aéreas, para identificar alergias ou sinusites, por exemplo, e indicando tratamento”.

A diretora da Escola Aruanda, Abigail Niedja, ressaltou a importância do programa para a saúde dos alunos e para o seu rendimento escolar. “Geralmente a criança não se queixa sobre as dificuldades de visão e é o professor que identifica o problema, ao perceber que o aluno franze as sobrancelhas, não lê corretamente, fala que não entende o assunto, ou sente muitas dores de cabeça. Desta forma, realizar esta ação por meio das escolas é bastante estratégico para a resolução do problema”.

Ariane Sá esclareceu que os exames oftalmológicos são feitos nos alunos com suspeitas de problemas de visão. Um deles é a estudante Vitória Xavier, de oito anos, que cursa o terceiro ano do ensino fundamental. “No começo deste ano eu comecei a ver uma mancha preta e isto atrapalhou as minhas leituras. Agora com os óculos que ganhei posso enxergar bem de novo”.

Já o estudante do sexto ano, Alex Gionani, teve suas lentes renovadas. Ele já havia recebido os óculos no ano passado e agora o grau foi ajustado às suas necessidades. “Estou enxergando bem melhor agora com as novas lentes e agradeço ao prefeito Luciano Agra por desenvolver este projeto para que outros como eu tenham este problema resolvido”, disse ele.