Luciano Agra libera mais 246 contratos do Empreender-JP

Por - em 75

O prefeito Luciano Agra liberou nesta quarta-feira (4) mais 246 contratos de empréstimo do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios de João Pessoa (Empreender-JP). No total, no mês do aniversário de 425 anos da cidade, R$ 513.086,00 estão sendo investidos em crédito a micro e pequenos empreendedores.

Agra aproveitou a cerimônia, realizada no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria, para pedir o apoio da população ao Censo 2010, iniciado no último domingo (1º) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). De acordo com ele, a pesquisa é uma base de dados essencial para a elaboração de políticas em favor da qualidade de vida da população.

O prefeito revelou que, este ano, o IBGE vai subdividir João Pessoa em zona urbana e rural. “Há quatro ou cinco Censos, a Capital paraibana é considerada um município totalmente urbano e essa não é a realidade. No nosso perímetro rural temos mais de 400 propriedades que trabalham nas atividades agrícolas e pecuárias. E este ano, os responsáveis pelo Censo garantiram que a pesquisa trará informações da zona urbana e da zona rural”, declarou.

Segundo ele, a atualização desses dados é importante para que os pequenos produtores da região tenham acesso a linhas de crédito criadas para o setor pelo Governo Federal. Há cinco anos, o Empreender já havia detectado essa carência na economia pessoense. Foi por isso que criou, em 2005, o Cinturão Verde, primeira linha especial de crédito do programa, que oferece também acompanhamento técnico específico para produtores familiares.

Cinco dos 246 empréstimos liberados nesta quarta-feira são do Cinturão Verde. No total, esses beneficiários irão receber R$ 29.000,00. Desde que foi criada, essa modalidade já liberou R$ 495.150,40 com recursos próprios.

Durante a cerimônia, o secretário de Desenvolvimento Sustentável da Produção, Raimundo Nunes Pereira, lembrou um pouco a história do Empreender-JP e declarou que o programa vem superando todas as expectativas. “No início do programa nós projetávamos investir em cinco anos algo em torno de R$ 4,5 milhões. Hoje já estamos em R$ 20 milhões. É muito gratificante acompanhar o sucesso dessa iniciativa”, declarou.

Desde 2005, o Empreender já liberou 9.031 contratos, com uma média de R$ 2.258,92 por empréstimo. Do total investido (R$ 20.400.277,10), aproximadamente 70% foram garantidos com recursos próprios, do Fundo Empreender. O resto é fruto de parcerias com o Banco do Brasil e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Para o secretário Raimundo Nunes, políticas de geração de emprego e renda precisam estimular a economia “de baixo para cima”, garantindo o aumento do poder de consumo dos consumidores e dos microempresários de modo a movimentar toda a cadeia produtiva.
 
Casos – Com o cheque do seu terceiro empréstimo em mãos, a comerciante Zumira Menezes da Silva, de 57 anos, faz planos para ampliar as vendas. Hoje ela trabalha com toalhas e lençóis. “Minha ideia é investir também em roupa de criança”, explica. O Empreender trouxe novas expectativas, segundo ela. “Tirei o primeiro empréstimo em 2007 e me ajudou demais. Sou separada e com o dinheiro que eu tiro das vendas posso pagar a prestação tranquila e cuidar sozinha dos meus dois filhos”, declara.

Já a costureira Severina Borges Paixão, de 66 anos, está retirando o seu primeiro empréstimo pelo Empreender. Ela conta que foi estimulada por uma colega, que já está no segundo contrato. “Minha máquina quebrou e eu não sabia o que fazer. Aí essa colega me mandou ir à Prefeitura. Passei os últimos dois meses parada e agora pretendo retomar meus trabalhos”, conta.