Luciano libera 270 contratos do programa Empreender-JP

Por - em 65

O prefeito Luciano Agra participou na manhã desta terça-feira (28) da cerimônia de assinatura de 270 contratos do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP). O evento aconteceu no auditório da Estação Cabo Branco, no bairro do Altiplano. No total, foram liberados R$ 762.393,00, maior volume de recursos já investidos de uma única vez pelo Empreender-JP desde a criação do programa, em 2005.

Luciano Agra abriu a cerimônia lembrando que hoje a Capital paraibana é exemplo nacional em políticas de estímulo a geração de renda. “Prefeituras como a de Osasco, em São Paulo, já entraram em contato com João Pessoa para implantar programas semelhantes ao Empreender”, afirmou. Em Cajazeiras, no Sertão paraibano, já funciona um Empreender, montado com o apoio técnico da PMJP.

Outras Prefeituras também demonstraram interesse em replicar o programa, a exemplo de Petrolina, Timbaúba, Jaboatão dos Guararapes (os três em Pernambuco), Manaus (AM), Maceió (AL) e, mais recentemente, Rondonópolis (MT) e Volta Redonda (RJ).

“O Brasil chegou atrasado no que diz respeito a políticas públicas de apoio ao micro e pequeno empresário, mas em João Pessoa nós estamos colecionando um êxito atrás do outro”, declarou Agra.

Com essa liberação de crédito, o Empreender já investiu R$ 21.244,208,10 em empréstimos a micro e pequenos empresários da Capital por meio de 9.307 contratos (uma média de 2.282,61 por empréstimo). O número de inscritos no programa já chega a 24.883. Desse total, 15.691 foram capacitados até agora em cursos e palestras gerenciais.

Entre os 270 beneficiários que receberam empréstimo nesta terça-feira estava Riosmar Gleriston Clemente de Sousa, que leu um poema de autoria própria para homenagear o Empreender-JP e arrancou aplausos do público presente. Esse é o segundo empréstimo dele, que trabalha há oito anos fazendo animação de festa, no papel do palhaço Mingau. O primeiro contrato, no valor de R$ 2,2 mil, foi utilizado na compra de uma cama elástica e de um compressor para encher bolas.

“Antes a gente tinha só a roupa, a mala, a agenda e eu”, conta Riosmar. A agenda de que ele fala é o local onde a esposa, Ivanice Clemente de Sousa, anota o dinheiro que entra e o que sai da pequena empresa. “Se você perguntar o que a gente recebeu oito anos atrás, a gente sabe”, garante.

Hoje, a situação está um pouco mudada na rotina do casal. “Temos duas camas elásticas, duas máquinas de algodão doce, máquina de pipoca, piscina de bolas e compressores”. Com o segundo empréstimo, no valor de R$ 4 mil, Riosmar pretende comprar outra piscina de bolas.

A renda da família aumentou. “Tiramos em torno de R$ 3 mil por mês. No início, eram uns R$ 500”, calcula Ivanice. O casal se mostra contente não apenas porque melhorou financeiramente, mas por estar realizando um sonho. “Ele sempre teve talento, mas isso não era trabalhado. Eu disse que, quando ele começasse a fazer o que gostava, teria sucesso”, lembra.

Comércio – Quem também está no segundo empréstimo é o comerciante Adonai de Lima Silva. Ele é dono, há 17 anos,  do Poeira’s Bar, localizado próximo ao Viaduto Cristo Redentor. Com o primeiro empréstimo, no valor de R$ 1,6 mil, ele comprou um fogão e uma TV para o estabelecimento. Pagou todas as prestações em dia e recebeu do Empreender o perdão das duas últimas prestações.

Agora teve a possibilidade de renovar o contrato e recebeu o dobro do que pediu da primeira vez. “Está sendo muito bom para a gente. Ganhamos experiência com o Empreender, participando dos cursos de capacitação. Aprendi, por exemplo, a planejar, a planificar o dia, a fazer a gestão financeira do negócio”, conta.

Primeira vez – Já o comerciante Gessi Carlos da Silva está tirando o primeiro empréstimo pelo Empreender-JP. Há dez anos à frente de uma pequena lanchonete no bairro de Cruz das Armas, ele conta que há tempos pensava em procurar o programa. “Para aprimorar o meu negócio eu precisava de mais equipamentos que nem sempre podia comprar”.

Com os R$ 2,5 mil que tomou emprestado do Empreender, Gessi Carlos conta que irá comprar um forno, uma balança eletrônica e um fogão industrial. “Vai melhorar muito para mim. Vou investir no que preciso de verdade”.