Luciano Agra propõe novo reajuste de 15% e professores encerram greve

Por - em 29

O prefeito da Capital, Luciano Agra, recebeu os representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de João Pessoa (Sintem-JP) na manhã desta quinta-feira (28), para discutir os reajustes para a categoria e apresentou uma nova proposta de aumento. A Prefeitura propõe um reajuste total de 15% para os professores efetivos e ainda um abono de R$ 90 para aqueles que estão em atividade docente. Para os recém-concursados, o aumento proposto é de 12% mais abono de R$ 120,00. Aos professores que ganham por hora-aula, o reajuste ficou em 12%, percentual que também está assegurado aos aposentados. A estimativa é que o impacto na folha do município seja de cerca de R$ 800 mil por mês. Outro ponto de pauta proposto foi a carga horária de seis horas para os profissionais de apoio, o que inclui secretaria e serviços gerais.

“Tivemos uma reunião positiva e apresentamos uma nova proposta, bem melhor que a anterior e que, esperamos, finalize esse momento de negociações com a categoria e promova a volta da normalidade ao período escolar nas nossas escolas”, ressaltou o prefeito Luciano Agra.

O prefeito esclareceu aos sindicalistas que um aumento salarial em demasia ocasionaria descontrole da receita municipal. “Além dos reajustes salariais, nós temos gastos com investimentos em obras e na qualidade dos serviços de educação prestados pela prefeitura. Não podemos aprovar um aumento que exceda nosso orçamento e que descumpra os gastos máximos com folha de pagamento, conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal”, disse ele.

A secretária de Educação, Ariane Sá, destacou que a proposta apresentada pela PMJP contempla as solicitações dos professores e que o reajuste previsto é o melhor possível, levando-se em conta que as verbas para a educação prevêem gastos com outras ações da Prefeitura no segmento escolar como um todo, não apenas na questão salarial. “São reformas e ampliações nas escolas, além de equipamentos novos para os alunos e melhores condições de trabalho para os profissionais”, completou.

O presidente do Sintem-JP, Daniel de Assis, disse que a reunião contribuiu para que as discussões avançassem e que a proposta, se aprovada pela categoria em assembléia, irá definir o fim da greve. O representante da entidade também garantiu que as aulas que não foram dadas durante a paralisação serão repostas.

Estiveram presentes na reunião o chefe de Gabinete do prefeito, Alexandre Urquiza, o procurador-geral do Município, Geilson Salomão, e a secretária de Administração, Laura Farias.