Luciano vê Cultura como agente incentivador da Educação em JP

Por - em 46

O prefeito Luciano Agra abriu oficialmente na manhã desta terça-feira (13), a exposição Prata da Casa. A solenidade aconteceu no Primeiro Pavimento da Torre Mirante, da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Arte, onde a exposição ficará aberta ao público até o dia 31 de junho. Luciano Agra destacou o empenho da atual administração municipal em desenvolver a Educação através da Arte e da Cultura.

“Esse espaço vem cumprindo sua missão de difundir e popularizar a Ciência, a Cultura e as Artes como forma de inclusão social. Ao estimularmos a Cultura, estamos divulgando artistas e desenvolvendo a educação, que é fundamental para libertar e transformar uma sociedade. Estamos aqui abrindo mais uma exposição, que vai transportar a população de João Pessoa e, principalmente as crianças, ao universo artístico, explicou.

O diretor da Estação Cabo Branco, Fernando Abath, falou da importância da integração entre as secretarias envolvidas no projeto e da satisfação em abrir mais uma exposição que vai enriquecer o ‘saber’ dos visitantes. “Para todos que visitarem essa casa de saberes multifacetada, buscamos por meio dessa exposição mostrar as práticas e reafirmar a vocação dessa importante equipe educacional que faz a secretaria de Educação e a Estação Cabo Branco”, declarou.

Para a secretária de Educação e Cultura, Ariane Sá, a exposição será um espaço que vai estimular ainda mais o aprendizado dos estudantes das redes pública e privada. “ Essa é uma grande sala de aula que contribui a cada dia para um maior aprendizado de crianças e adultos em nossa cidade”, frisou.

História – A exposição apresenta de maneira lúdica, artística e cultural a história e produção do Setor de Gestão Educacional da Estação Cabo Branco, desde a sua fundação em 2008. Os organizadores levaram em consideração as interfaces e parcerias constituídas ao longo deste período.

De acordo com a chefe de Gestão Educacional, Cássia Freitas, o setor tem sido de fundamental importância para as atividades e programas realizados na Estação Cabo Branco. “Estou muito feliz em estar aqui hoje abrindo essa exposição, que é o resultado de um esforço coletivo. Esse projeto é o retrato do dia a dia, do cotidiano desse espaço, que tem contribuído para a promoção de nossa arte e cultura”, falou.

Interação – Durante a exposição, o Primeiro Pavimento da Torre será totalmente ocupado com espaços interativos formados por oito oficinas artístico-pedagógicas do Programa Ciranda Curricular da Sedec. São elas: origami, ‘contação’ de estórias, percussão, musicalização (violão e flauta), recreação, artesanato e danças populares. Também estarão em exposição experiências vinculadas as várias áreas de conhecimento que serão apresentadas por monitores (estudantes da Universidade Federal da Paraíba) que compõem a Monitoria da Estação.

O público vai poder visitar as stands de setores da Gestão Municipal que são considerados parceiros contínuos da Estação Cabo Branco como a Secretaria de Meio Ambiente (Semam), Emlur, Superintendência de Transporte e Trânsito (STTrans) e Fundação Cultural João Pessoa (Funjope).

No local haverá ainda um ambiente específico com a mostra do material didático do Setor de Gestão Educacional da Estação com a proposta de ampliar as perspectivas pedagógicas e de aprendizagem em caráter de transversalidade de conhecimentos, a exemplo da Iniciação à Informática e a Robótica; Planetário, Roda de leitura e poesia, entre outros importantes instrumentos de mediação.

A exposição Prata da Casa é uma idealização dos gestores educacionais da Estação Cabo Branco, com curadoria da artista plástica Lúcia França e assistência de Tâmara Sorrentino, além da colaboração e apoio de toda equipe gerencial da Estação Cabo Branco. Ela ficará aberta ao público no horário de funcionamento da Estação.