Luiz Melodia faz público ‘cair no samba’ em show no Estação Nordeste

Por - em 17

Samba, swing e romantismo marcaram a apresentação do cantor e compositor carioca Luiz Melodia, na noite desta sexta-feira (18), dentro da terceira edição do ‘Estação Nordeste’. Uma multidão foi até a Praça Antenor Navarro, tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional, prestigiar a nona noite do festival, que teve também shows de Gustavo Magno e Mama Jazz. O evento é promovido pela Fundação Cultural (Fujope) da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), em parceria com o Ministério do Turismo.

Luiz Melodia apresentou ao público pessoense canções do seu mais novo trabalho ‘Estação Melodia’, gravado pela Biscoito Fino. No disco, ele interpreta somente sambas dos anos 30, 40 e 50. São basicamente canções que eu ouvia quando era garoto, contou o cantor.

O carioca trouxe para a Capital paraibana o típico choro, com músicos tocando violão, cavaquinho, flauta e percussão. O samba e a gafieira também foram ritmos presentes entre as 14 faixas apresentadas. Na lista, músicas de Ismael Silva e sambas famosos de Paulinho da Viola e Jamelão, além de duas criações do pai dele, Oswaldo Melodia, sambista falecido.

Diversidade – O primeiro a subir no palco foi o potiguar Gustavo Magno, que apresentou o show de lançamento do seu mais novo CD ‘Divina virtude’. Cantor e compositor com formação artística paraibana, ele trouxe para o ‘Estação Nordeste’, canções de sua autoria, além de uma nova versão da canção ‘Velha roupa colorida’, do cearense Belchior e do poema ‘Versos íntimos’, do paraibano Augusto dos Anjos. O show contou ainda com as participações de seis ‘street dancers’ da Tribo Ethnos.

A noite foi encerrada com o ritmo vibrante do Mama Jazz. O grupo paraibano, formado por seis integrantes, fez o público dançar com o repertório que foi do samba ao maracatu, do bolero à rumba. O Mama Jazz produziu um som diferenciado, integrando elementos de diferentes culturas, unindo os acordes do jazz e a uma variada performance de tambores. Além disso, a bela mistura de cores e estampas, originadas das indumentárias africanas e nordestinas, também se constituíram como uma atração à parte no show.