Lula Côrtes e Alberto Marsicano estão no Som das 6 desta sexta

Por - em 27

O espírito rock and roll do pernambucano Lula Côrtes, além do paulista Alberto Marsicano, que é discípulo do músico indiano Ravi Shankar, estarão no projeto ‘Som das 6’ desta sexta-feira (14). O evento acontece no Ponto de Cem Réis, a partir das 18h. Na mesma noite, o público poderá ouvir ainda a viola caipira do paraibano Cristiano Oliveira. A iniciativa acontece semanalmente e é desenvolvida pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

O cantor, compositor e escritor recifense Lula Côrtes está na estrada desde os anos 60. Ele define o rock como a expressão mais espontânea, vivencial e corpórea de um ritmo. Ele diz que continua seu trabalho com a regularidade fiel, pintando, escrevendo e tocando todos os dias. “Tenho o prazer de compor para quase todos os nomes mais significativos da musica popular brasileira, como Zé Ramalho, Alceu Valença, Amelinha, Dominguinhos, Guadalupe, Jarbas Mariz, Daniel Beleza, Dom Tronxo, Tito Livio e outros” enfatiza.

Em 1976, Lula Côrtes fez parte da banda de forrorock de Alceu Valença. O artista chegou a lançar discos antológicos, como ‘Satwa’ (com Laílson), o lendário ‘Paêbirú’ (dividido com Zé Ramalho) e o raríssimo ‘O Gosto Novo da Vida’, de 1980, que foi retirado de catálogo pela gravadora Ariola.

A ‘Casa da Praia’ é o último trabalho pronto. Trata-se de um conto surrealista, que será lançado nos próximos meses, possivelmente junto com o novo conto ‘A Aparição’. Também está em andamento a ‘Hora da Batalha’, uma história para a juventude com uma visão futurista de uma outra Batalha dos Guararapes, segundo o autor. O livro de poemas ‘O Amor em Preto e Branco’ também está para ser relançado. Lula ainda está trabalhando no conto ‘O Retorno ao Jardim do Éden’, além de poemas e composições. Também já estão prontas as composições do CD ‘Tarja Preta’, junto com o músico pernambucano Má Companhia.

Discípulo da cítara indiana – O músico, filósofo, tradutor, contista e citarista Alberto Marsicano, discípulo de Ravi Shankar e Krishna Chakravarty, foi um dos tradutores de Artur Rimbaud no Brasil. Seu último CD, intitulado ‘Sitar Hendrix’ – onde executa versões experimentais do guitarrista – foi indicado para o 49º Grammy, tendo apresentado este show em vários projetos da cidade de São Paulo.

O músico paraibano Pedro Osmar, que chegou a tocar com Alberto Marsicano, definiu o artista como um mestre. “Sou fã de Marsicano desde os anos 70. Assim que cheguei em São Paulo pela primeira vez, me deparei com o mago da música indiana em discos e shows, ficando amigo dele. Ele tocou comigo no Itaú Cultural, ao lado do rabequeiro suíço Thomas Rhorer e dos músicos paraibanos que tocaram com o (movimento) Jaguaribe Carne no projeto Rumos Itaú Música, em 2003”, afirmou. “Para mim, Alberto Marsicano é um mestre da música indiana no Brasil e o seu primeiro divulgador, se tornando o professor dos primeiros alunos do sitar no país”, acrescentou.

‘Viola Caipira’ de Cristiano Oliveira – O instrumentista e compositor Cristiano Oliveira apresenta no ‘Som das 6’ o show ‘Viola Caipira’, sobre a popularização deste instrumento. A intenção é que a viola possa ser utilizada em diferentes vertentes musicais, a exemplo do samba, baião, música de vanguarda e jazz, não sendo restringido apenas à música rural.

Para Cristiano Oliveira, a iniciativa da Funjope é uma forma de popularizar diferentes vertentes musicais e colocar em evidência também o artista local. “A população merece ter acesso à informação através da música e o ‘Som das 6’ abre espaço para este contato das pessoas com as artes. Por isso, acho uma iniciativa louvável’, afirmou.

No show desta sexta-feira, Cristiano Oliveira será acompanhado pelos músicos Chiquinho Mino (bateria), Zé Guilherme (percussão), Jorge Negão (baixo) e Júnior Matos (acordeon). Haverá ainda participações especiais, como o ator Maurício Soares, que vai apresentar performances teatrais intercaladas com as músicas. Terá também as presenças das cantoras Gláucia Lima, na composição ‘Ituᒠ(parceria de Cristiano Oliveira e Acilino Madeira), e Cida Alves, que vai executar ‘O Blues Caipira’.