Maestro Morozowicz e OCCJ homenageiam músicos franceses

Por - em 43

O maestro curitibano Norton Morozowicz, membro da Academia Brasileira de Música, é o convidado para reger o concerto oficial da Orquestra de Câmara Cidade de João Pessoa (OCCJ) neste domingo, dia primeiro, às 17h, no Centro Cultural São Francisco. Juntos, eles vão dar as “boas vindas” aos franceses, que se apresentam no Ponto de Cem Réis, dentro do ‘Station Brésil: onde os ritmos se encontram’. A iniciativa está dentro das comemorações do Ano da França no Brasil. O repertório passeia pelo classicismo vienense dos compositores Ludwig Van Beethoven (1770-1827) e Franz Joseph Haydn (1732-1809), além de incluir obras do alemão naturalizado brasileiro, Ernst Mahle, e do “sulista nordestinizado”, Guerra Peixe (1914-1993). A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Reconhecido como um dos mais importantes músicos do Brasil, o flautista e regente Norton Morozowicz possui uma carreira sólida como instrumentista, solista e camerista. Durante 17 anos foi solista da Orquestra Sinfônica Brasileira. Ele já se apresentou com artistas nacionais e internacionais, entre os quais o parisiense Jean Pierre Rampal (1922-2000), conhecido como Homem da Flauta de Ouro. Como regente, o convidado da OCCJ já dirigiu as principais orquestras do Brasil.

De Ludwig Van Beethoven, que é um compositor do período de transição entre o Classicismo (século XVIII) e o Romantismo (século XIX), a OCCJ vai executar uma abertura de balé (Overture do Ballet), que é o Opus 43, intitulado ‘Die Geschöpfe des Prometheus’ (As Criaturas de Prometheus). A Sinfonia de n◦. 104, em quatro movimentos (Adagio/Allegro, Andante, Menuetto Allegro e Finale/Spiritoso), de Joseph Haydn, será a segunda peça apresentada.

Haverá espaço também para o trabalho deixado pelo maestro Guerra Peixe, filho de imigrantes portugueses de origem cigana, nascido em Petrópolis (RJ). Ele destrinchou o folclore brasileiro como poucos, mostrando as novas dimensões da musicalidade nacional a partir do estudo de ritmos nordestinos, a exemplo do maracatu, coco, xangô e frevo. Do compositor, a Orquestra de Câmara vai executar ‘Roda de Amigos’, segmentada nos temas ‘O Rabugento’, ‘O Teimoso’, ‘O Melancólico’ e ‘O Travesso’. A performance contará com os solistas José Eunilton (fagote), Aynara Dilma (clarinete), Alisson Braulio (Oboé), Renán Resende (flauta). O repertório tem ainda a obra ‘Sintonietta’ (1957), do alemão, naturalizado brasileiro, Ernst Mahle.

A OCCJ vai se apresentar com 39 músicos, responsáveis pelos primeiros e segundos violinos, além de violas, violoncelos, contrabaixos, flautas, clarinetes, aboés, fagotes, trompa, trompetes, trombones, tuba, teclado e percussão. O regente titular do grupo é o maestro Gustavo Ginés de Paco.

Oito anos de trabalho – A Orquestra de Câmara Cidade de João Pessoa foi um projeto iniciado em 2001, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Atualmente, o grupo está sob a coordenação da Funjope. A iniciativa se consolidou como espaço musical de preparação artístico-profissional de jovens na faixa etária de 16 a 25 anos, oriundos do bacharelado e atividades de extensão do Departamento de Música da UFPB.

Station Brésil – O festival de música ‘Station Brésil: onde os ritmos se encontram’ ancora no Ponto de Cem Réis nos próximos dias 31 de outubro e primeiro de novembro, às 20h e 18h, respectivamente. A iniciativa faz parte das ações do Ano da França no Brasil. A abertura será com a cantora Renata Arruda. Entre as atrações que se apresentam juntas está Zélia Duncan e o francês Louis Bertignac, que produziu e fez os arranjos do bem sucedido álbum ‘Quelqu’un m’a dit’, da francesa Carla Bruni, vendendo milhões de cópias. A Prefeitura de João Pessoa, por meio da sua Fundação Cultural (Funjope), é um dos apoiadores do evento, que é gratuito. A realização é do Estudio Gaia, em parceria com o IBL.  

Confira a programação de João Pessoa, na Praça Vidal de Negreiros, conhecida como Ponto de Cem Réis.
Dia 31/10 – 20h
Renata Arruda
Dia 01/11 – 18h
Banda de Pífanos da Serra de Jabitacá + Jeanne Cherhal
Spleen + Cibelle
Bertignac + Zélia Duncan
Mathieu Boogaerts + Orquestra Sanhauá