Mais de mil casas aderem ao novo sistema de coleta da Emlur

Por - em 105

A Prefeitura Municipal de João Pessoa implantou oficialmente na manhã deste sábado (16) o novo sistema de coleta seletiva desenvolvido pela Autarquia Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) na Capital. O novo modelo foi implantado no bairro do José Américo, onde já estão cadastradas cerca de 1.500 moradias que irão participar do programa. O evento, realizado no Centro Comunitário do bairro, contou com a participação de secretários municipais, servidores da Emlur, moradores e também com a apresentação do grupo de percussão ‘Baticumlata’, formado 20 funcionários da Autarquia.

“O processo da coleta seletiva envolve duas questões extremamente importantes para a melhoria da qualidade de vida da população. Por isso, também é importante que a gestão municipal busque sempre alternativas que possam melhorar o programa que já desenvolvemos em nossa cidade, destacou o chefe do Gabinete da PMJP, Alexandre Urquiza, que representou o prefeito Luciano Agra durante o evento.

Ele falou ainda da importância da adesão da população para que o trabalho tenha resultado positivo. “A participação da população é essencial. Separar o lixo adequadamente, nesse caso, contribui não só com o meio ambiente, como também para a geração de renda de famílias que vivem em condições de vida mais difíceis”, concluiu Urquiza.

Como funciona – O novo processo de coleta utiliza um caminhão de carroceria aberta com uma estrutura em tela e tubo galvanizado, construída pela própria Emlur, e com capacidade para receber cerca de 10 toneladas de materiais recicláveis. Durante um dia da semana, a carroceria percorrerá o bairro coletando nas residências cadastradas o lixo seco, já separado em sacolas plásticas pelos próprios moradores.

O superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, destacou que o sistema deverá viabilizar uma coleta mais funcional, ágil e em maior quantidade nos bairros aonde venha a ser implementado, contribuindo também para o trabalho dos agentes ambientais que atuam nesse processo.

“O programa de coleta seletiva é uma ação que buscamos melhorar a viabilidade cada vez mais em nossa cidade. Esse novo sistema é um projeto experimental que vem para reformular o modelo tradicional de coleta, já que verificamos a necessidade de aumentar e melhorar a capacidade de coleta dos próprios agentes ambientais”, disse Coriolano.

Coleta mais eficiente – Coriolano ainda lembrou que assim como o modelo anterior, a coleta por caminhão será mais eficiente se houver uma cooperação maior da própria comunidade. “Não existe coleta seletiva e nem limpeza urbana sem que haja uma participação maior da população”, completou, garantindo que o modelo deverá ser levado a outros bairros da capital até o final de ano.

Em uma primeira experiência realizada pela Emlur na última semana já com a carroceria aberta, foram recolhidos no José Américo cerca de duas toneladas de material potencialmente reciclável. Como já funcionava também no processo antigo, depois de coletado, o lixo separado adequadamente pelos moradores é levado a um dos cinco núcleos de triagem do município, nos bairros do Bessa, Cabo Branco, 13 de maio, Jardim Cidade Universitária e Mangabeira. Essas unidades atendem aos 19 bairros onde já funciona o sistema de coleta seletiva tradicional, que recolhe cerca de 350 toneladas de material reciclável por ano nessas localidades.

“É com muita alegria que recebemos esse projeto no José Américo. E o ideal é que toda a cidade de João Pessoa esteja envolvida com a questão do meio ambiente e da sustentabilidade”, comentou o estudante de Geografia, Rayme de Barros Braga, morador do bairro.