Mandacaru tem dia de oficinas artísticas e educativas, domingo

Por - em 41

Os moradores de Mandacaru participam neste domingo (15), a partir das 14h, na Biblioteca Comunitária do bairro, de um dia de oficinas de perna-de-pau, música, percussão, brinquedos populares, pinturas de corpo, palhaçada e brincadeiras populares, como parte de um projeto realizado pela ‘Cia. de Teatro Perfil’, com atividades artísticas e educativas, planejadas de acordo com a faixa etária dos participantes.

A iniciativa é realizada em parceria com a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), dentro um processo de expansão desta ação cultural pelas comunidades da Capital. A Biblioteca fica na Beira da Linha, próximo à organização não-governamental (ONG) ‘Cactos’.

No dia 18 de maio, o projeto atendeu aos moradores da Comunidade Parque do Sol, no Valentina Figueiredo, e atraiu um grande número de crianças e adolescentes que passaram toda a tarde exercitando a fabricação de brinquedos populares, como o ‘rói-rói’ e a ‘galinha’ confeccionados com papel reciclado e cordões, além das oficinas de percussão e de dança. O evento contou com a presença do diretor-executivo da Funjope, Lau Siqueira, e da assessora pedagógica da instituição, Dea Limeira.

Em Mandacaru, a oficina de perna-de-pau será ministrada por Ranier Santos e Luciano Medeiros, com atividades circenses e focadas no aprendizado da técnica utilizada em apresentações com o equipamento de madeira, com a segurança devida e o acompanhamento dos profissionais.

A oficina de música é orientada pelo percussionista Dal Zapata e proporciona a familiarização com elementos da música popular, através do exercício rítmico e ensaio com instrumentos musicais, além de um exercício ritmado, com a utilização de composições do cancioneiro popular nordestino.

Já a oficina de brinquedos populares, ministrada por Cláudia Fabiana e Thiala Gomes, apresenta como resultado a confecção de um brinquedo popular para 80 crianças, a exemplo de ‘rói-rói’ e ‘galinhas’ de papel reciclado. A de brincadeiras populares, orientada pela mesma dupla, faz uma vivência com tipos tradicionais como pula-corda e ciranda.