Masterclass encerra programação e se consolida como evento de troca de experiência entre músicos

Por Luiz Carlos Lima - em 256

Após quatro dias e nove sessões de miniaulas, chegou ao fim o calendário de atividades do masterclass – atividade incluída na programação do 6ª edição do Festival de Música Clássica, realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Fundação Cultural da Capital (Funjope). Ao longo dos quatro dias, dezenas de alunos passaram pelo Hotel Globo, Centro Cultural Casa da Pólvora e Igreja de São Francisco – locais onde aconteceram as aulas. Nos encontros, os alunos tiveram contatos com instrumentos como viola, violino, piano e violoncelo.

O objetivo das aulas é fazer com que os alunos tenham a possibilidade de interagir com artistas renomados nacionais e internacionais. Esses artistas participam dos concertos no período da tarde e noite e reservam o período da manhã para troca de experiência com alunos e interessados em música clássica.

Para o violinista e um dos responsáveis pelas masterclasses, Alberto Johnson, é importante que os alunos absorvam novas ideias. “A maioria dos músicos são europeus. Lá há uma maior divulgação da música erudita e é importante esse contato com pessoas dela. Os alunos já estudam e é uma motivação a mais ter contato com ideias novas, outras perspectivas da música clássica”, disse.

Alunos empolgados – A possibilidade de ver concertos internacionais e ainda receber orientações com especialistas são as grandes motivações dos interessados que buscam as masterclasses. Formado por um público fiel, a maioria dos alunos que passam pelas sessões de miniaulas são veteranos das masterclasses.

Aos 18 anos, a estudante Mirna Alvarenga, já frequenta as masterclasses há quatro edições do festival. “A música clássica não está totalmente ao alcance de todos. Temos professores ótimos, mas a possibilidade desse contato internacional, com certeza, é um diferencial no nosso processo de aprendizado”, revela.

A também estudante Maísa Oliveira participou das aulas pela primeira vez aos 15 anos. Hoje, aos 19, diz que a possibilidade de intercâmbio já faz parte do calendário de estudos de instrumentos musicais. “Ficamos ansioso pela chegada do festival. É uma possibilidade de ampliarmos nossos estudos, ter outras dicas e até uma outra visão da música clássica”, afirma.

As masterclasses – A aulas foram realizadas de segunda-feira (26) a quinta-feira (29), sempre às 10h, na Casa da Pólvora, Hotel Globo e Igreja de São Francisco. As inscrições foram gratuitas e as vagas limitadas a 15 alunos por turma. Foram oferecidas nove masterclasses de quatro instrumentos: violino,viola, violoncelo e piano.

As masterclasses foram ministradas por Alberto Johnson (Brasil), Carmen Jiménez (Espanha), Humberto Ridolfi (Argentina) e Sarah Loerkens (Suíça), Mikhail Zemtsov (Rússia), Dana Zemtsov (México), Eveline Kraayenhof (Holanda), Mirjam Bosma (Holanda) e SashaGrynyuk (Ucrânia)