Mercado Central: galpões de cereais têm recuperação total

Por - em 44

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) inicia esta semana a colocação das telhas termo-acústicas, a recuperação da parte elétrica e hidráulica, piso e todo o revestimento do prédio dos dois pavilhões de cereais do Mercado Central.

As obras foram iniciadas há dez dias e fazem parte da terceira etapa do projeto de revitalização do Mercado. Segundo Rodrigo Marques de Andrade, engenheiro da Secretaria de Infra-estrutura (Seinfra), o andamento dos trabalhos está dentro do cronograma. “A próxima etapa será o serviço de drenagem das águas das chuvas, para evitar alagamentos futuros”, explicou.

Na execução da obra, a Prefeitura não alterou a arquitetura original dos prédios, construídos em 1948 e considerados patrimônios históricos. Apenas o teto foi retirado, onde as antigas telhas serão substituídas por um material feito em aço e preenchido com isopor, que absorve menos calor.

Mais obras – O secretário de Controle e Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Ivan Burity, informou que tão logo essa etapa acabe haverá recuperação do prédio onde funciona a administração, um posto da Polícia Militar, a associação dos comerciantes e banheiros, além da fachada do mercado. No local, onde hoje funcionam 52 boxes, será construído um auditório com capacidade para 50 pessoas. A outra parte do projeto é a construção da praça da alimentação que terá capacidade para 48 lanchonetes. A estimativa é que as obras da terceira etapa sejam concluídas em 120 dias.

“A Prefeitura também fará a substituição de toda a rede de esgoto do Mercado Central, para evitar ligações clandestinas como acontece hoje, onde os dejetos são jogados diariamente na Lagoa do Parque Solon de Lucena. Essa medida contribuirá para evitar a poluição de um dos mais conhecidos cartões postais da cidade”, observou Ivan.

A terceira etapa do projeto de revitalização do Mercado Central foi iniciada no dia 30 de outubro deste ano. A obra consiste na reforma dos 62 boxes do galpão de cereais, que possui uma área de 1.290 metros quadrados; a construção de uma praça da alimentação e de uma bateria de banheiros. As barracas de lanches instaladas na avenida Dom Pedro II também serão retiradas. O investimento total é de mais de R$ 2 milhões e o projeto inclui ainda uma quarta etapa, que é a reforma do prédio onde funciona o ‘Sacolão’.