Ministério do Turismo avalia potencialidades de João Pessoa

Por - em 15

João Pessoa está sendo alvo do estudo de Competitividade dos 65 Destinos Indutores, realizado pelo Ministério do Turismo e o Sebrae Nacional e executado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O objetivo é avaliar o que ainda falta para a cidade se tornar um destino turístico com padrão de qualidade internacional.

Durante toda esta semana, a consultora da FGV, Luciana Velloso fará visitas a diversos órgãos e entidades para levantar informações sobre vários aspectos da cidade, entre eles os econômicos, sociais e ambientais, que possam indicar o nível de competitividade dos destinos turísticos. Esta é a segunda etapa do estudo, que teve início em 2008 com a realização do primeiro levantamento.

Na manhã desta segunda-feira (24), a consultora se reuniu com o vice-prefeito da Capital, Luciano Agra, e com o secretário adjunto de turismo, Diego Tavares, para fazer a primeira de uma série de entrevistas que servirão de base para os dados que serão catalogados no estudo. Segundo o secretário adjunto, o resultado do estudo será uma ferramenta importante para as próximas ações da gestão municipal com relação ao setor. ”Esse diagnóstico da realidade local vai nortear as prioridades da Secretaria de Turismo e também de outros órgãos ligados ao turismo, seja diretamente ou indiretamente”, comenta Diego Tavares.
 
O Estudo
 
O Estudo é feito por pesquisadores e técnicos da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Ministério do Turismo e Sebrae que estão avaliando a evolução do processo e comparando a realidade atual com os indicadores obtidos na primeira etapa. As capitais e não capitais foram avaliadas em 13 quesitos relativos à infraestrutura, turismo, políticas públicas, economia e sustentabilidade. Em abril de 2008, os resultados foram apresentados aos prefeitos e secretários estaduais e municipais de Turismo. Em seguida, o Ministério do Turismo, FGV e Sebrae promoveram seminários em cada um dos destinos para que governos, sociedade civil e empresas mapeassem as principais necessidades locais.

O Ministério, junto com o Sebrae, está desenvolvendo 419 diferentes projetos nos 65 destinos, mais de 43 por destino. São ações nas áreas infraestrutura básica e turística, gestão local e regional, qualificação, produção associada, além de projetos sociais. O esforço é direcionado para conferir a esses destinos – um universo que abrange 59 regiões e 740 municípios – padrão internacional de qualidade: uma das metas do Plano Nacional de Turismo.