Ministério Público Estadual elogia atuação da Prefeitura de João Pessoa no combate à corrupção

Por Katiana Ramos - em 590

O trabalho da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da Controladoria Geral do Município (CGM), em identificar a irregularidades no Instituto de Previdência Municipal (IPM), que deflagrou a operação ‘Parcela Débito’, divulgada nesta quinta-feira (24), foi elogiado pelo promotor do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), Otávio Neto. “O fortalecimento da Controladoria do Município e a postura do presidente do IPM, Diego Tavares, foram fundamentais para o descobrimento dessa fraude”, disse.

As investigações que deram origem à Operação Parcela Débito começaram com uma auditoria da CGM no segundo semestre de 2016. A partir daí foram identificados os servidores do Instituto e agentes de outros órgãos envolvidos na irregularidade, que utilizavam informações dos servidores inativos e pensionistas para desviar recursos. Além da ação da Prefeitura, o Ministério Público também já detinha dados que datavam de anos anteriores a 2012, quando foi deflagrada a Operação Pão e Circo.

O controlador destacou o apoio da superintendência do órgão da Previdência Municipal na identificação da fraude, que analisou dados e documentos do Instituto. “A partir da suspeita de fraude na auditoria que realizamos no ano passado, contamos com o apoio da superintendência do IPM para identificar as pessoas envolvidas  e também os diretamente beneficiados, que não são aposentados ou pensionistas do município. Assim, demos essa resposta à sociedade que é o combate à corrupção onde quer que ela esteja”, frisou o controlador-geral.

O superintendente do IPM, Diego Tavares, que participou da coletiva com o MPE e apoiou de forma direta as investigações, garantiu que os servidores inativos e pensionistas terão seus rendimentos disponibilizados normalmente na folha de pagamento. “Apesar dessa fraude, a folha do IPM está garantida e a Prefeitura de João Pessoa estará sempre atenta em adotar medidas no combate à corrupção. Também vamos seguir investindo na modernização da gestão do Instituto, a exemplo do concurso público já anunciado para profissionais dos níveis médio, técnico e superior”, acrescentou Diego Tavares.