Ministro da Cultura deve vir a capital paraibana em julho

Por - em 49

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, deve vir à Capital paraibana no próximo mês de julho para falar sobre as mudanças da Lei Rouanet. A informação é do gerente de Articulação Nacional do MinC, Fred Maia, que esteve durante esta quarta-feira (10) em João Pessoa, reunido com artistas e o diretor da executivo da Funjope, Chico Cesar.

O gerente de Articulação Nacional do MinC falou sobre o Sistema Nacional de Cultura, o ‘ Programa Mais Cultura’ e a Conferência Nacional de Cultura. Ele falou sobre os diversos pontos de abrangência dos projetos. Maia também elogiou a existência do Fundo Municipal de Cultura (FMC),que foi implantado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), e da adoção de editais para a democratização das ações culturais. “Cultura precisa de investimentos e ela possui alta rentabilidade. Para termos uma idéia, o Governo Federal investe 0,6% do orçamento no setor. Mesmo assim, isso consegue gerar 5% a 7% do PIB nacional”, justificou.

Visita do Ministro – No final da visita, Fred Maia falou sobre o Termo de Cooperação Federativa, ligado ao Programa Mais Cultura, que prevê parcerias com municípios brasileiros, e que vai ser apresentado ainda este mês na capital paraibana. A explanação acontecerá durante visita da secretaria de Articulação Institucional do Ministério da Cultura (Minc), Silvana Meireles. Em julho será a vez do Ministro Juca Ferreira vir à cidade falar sobre as mudanças da Lei Rouanet.

“ A Silvana Meireles virá propor um termo de cooperação federativa no Programa Mais Cultura. A assinatura é da maior importância para dinamizar o que vamos construir aqui.Em julho quem vem é o ministro para falar sobre as mudanças na Lei Rouanet”, confirmou. O diretor executivo da Funjope, Chico Cesar disse que a vinda de Fred Maia a João Pessoa foi apenas o primeiro momento de outras discussões. “Apesar de ser questões propositivas, elas vão avançar para fóruns e conferencias. É importante a participação de toda comunidade artística nessas discussões”, afirmou.