Montagem de exposição é tema de capacitação no Casarão 34

Por - em 20

A ‘Oficina de curadoria e montagem de exposição’, promovida pela Unidade Cultural Casarão 34 e ministrada pela professora Desirée Monjardim, foi encerrada nesta sexta-feira (26). Com o objetivo de capacitar artistas, técnicos e agentes das mais diversas áreas culturais, a oficina, que começou na última segunda-feira (22), abordou a escolha seletiva para edição e montagem prática de uma exposição, além de trazer uma abordagem sobre o processo de curadoria e a análise de propostas e decisões estéticas. A realização é da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

A professora Desirée Monjardim, ministrante da oficina, é Curadora da Fundação de Cultura de Niterói (RJ). Sua obra está representada em diversos acervos como Museu Dom João VI, Escola de Bela Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Primeiro Museu de Arte Latina da Europa, Universidade de Essex (Inglaterra) e Exposição Itinerante da Associação de Mulheres Uruguaias Lourdes Pinto.

Desirée Monjardim ressaltou que a experiência em João Pessoa foi riquíssima. “Me sinto muito honrada de ter sido convidada e recebida calorosamente pelas pessoas desta cidade, além de que este curso, direcionado a artistas plásticos e produtores culturais interessados em curadoria, tem o objetivo de transmitir a experiência que tenho de 12 anos trabalhando estes conceitos aqui repassados, na Fundação Cultural de Niterói”.

Para a ministrante, a iniciativa da Funjope foi muito importante para a área cultural da Capital. “Acredito que com a realização de cursos como este, a Funjope, que tem o luxo de ter à frente um artista de mente aberta como Chico César, está verdadeiramente prestando um serviço à cidade de João Pessoa”.

A artista plástica Selma Sanches, que é proprietária de um Ateliê, disse que a experiência teve resultados bastante positivos. “Quando procurei este curso, eu tinha a expectativa de aprender a selecionar obras no processo de montagem das exposições e durante esta semana tivemos a oportunidade de não só receber informações sobre montagem, como também visualizar obras de grandes artistas internacionais em exposições. Vimos também, através de novos conceitos, que não existem espaços ou formatos pré estabelecidos, como uma receita de bolo. O mais importante é que as obras dialoguem entre si”, completou.