Moradores escolhem nome de praça do ‘Gervásio Maia’, até esta sexta

Por - em 32

Moradores do Condomínio Residencial Gervásio Maia escolhem até esta sexta-feira (13), por meio de eleição popular com voto depositado em urna, o nome da praça que está sendo finalizada naquele núcleo habitacional. A obra está orçada em mais de R$ 600 mil e deve beneficiar a população de pelo menos quatro bairros. O resultado da votação será anunciado esta sexta-feira pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) do Município, responsável pela organização da eleição.

Quatro nomes estão entre as opções: Esperança, Felicidade, Cidadania e Harmonia. As urnas para eleição estão colocadas em quatro pontos do Gervásio Maia: na Unidade de Saúde da Família (USF), no Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e escolas Antenor Navarro e Raimundo Nonato. Um a mobilização foi feita nas escolas por técnicos da Sedes para esclarecer a intenção de promover a participação de todos na escolha. Pelo menos mil famílias devem votar no nome que acreditam ser mais adequado à praça. Moradores dos bairros Colinas do Sul, Gramame, Engenho Velho e Grotão também deverão participar.

A praça é mais um equipamento que trabalha no condomínio o conceito de habitabilidade, indo além da infra-estrutura necessária com saneamento básico, energia elétrica e ruas calçadas. O ponto de convivência terá brinquedos para as crianças, quadras destinadas à prática esportiva, sendo ainda um excelente lugar de lazer para os moradores, carentes de opções. A previsão para conclusão é o mês de abril.

O residencial já possui escola com dez salas de aula, quadra coberta, Unidade de Saúde da Família (USF) e creche. Por esta característica, uma pesquisa recente da Caixa Econômica Federal (CEF) elegeu o Condomínio Gervásio Maia – em nível nacional – o mais completo empreendimento habitacional construído no Governo Lula em parceria com o Governo Municipal.

Atualmente, moram no local 959 famílias, beneficiadas através do programa habitacional do Governo Municipal. Essas pessoas viviam em acampamentos de lona ou em prédios públicos como Cibrazem, INSS, Matadouro, LBA, Distrito Mecânico, Titanic, Fábrica de Gelo, Asa Branca, mais os acampamentos Jorge Luís, Vila Vitória, Pedro Teixeira, Chico Mendes, Margarida Maria Alves, Monte das Oliveiras e 19 de Maio, além de famílias que recebiam auxílio moradia.