Mostra coletiva expõe trabalhos produzidos na periferia da Capital

Por - em 26

A I Mostra de Arte Periférica (MAP) de João Pessoa começou nesta quarta-feira (21), na Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes, e permanece aberta ao público até o dia 29 de novembro. A Mostra foi criada com o objetivo de fortalecer a cultura produzida na periferia. No local o visitante vai encontrar grafite, fotografia, literatura, cinema, artes plásticas e música, uma forma alternativa de criar espaço para as manifestações culturais da comunidade.

A MAP consiste em uma mostra coletiva de arte, resultante de oficinas culturais ministradas em comunidades carentes de João Pessoa, além de expor a produção dos alunos envolvidos nas oficinas de grafite, cinema, multimeios e comunicação digital. Estão expostas obras dos artistas Jailson, Minelo, Lêgo, Mumia, Rotty, Cassiano, Dykwan, Darcy Lima, Mc Léo Thomas, Beto Souza, Alcelines Poffty, Joálisson Cunha, Gilvan Gonçalves e Johnny Labaredas.

A Mostra de Arte Periférica pretende estimular novos olhares em torno da paisagem e dos espaços da comunidade, com o intuito de evidenciar o papel da arte na construção da cidadania de crianças e adolescentes do Porto do Capim, São Rafael, Timbó e Citex. Ela faz parte do prêmio de apoio a pequenos eventos culturais concedido pelo Ministério da Cultura ao grafiteiro Gigabrow, em parceria com a URBE Audiovisual, e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), Cult PB revista eletrônica, Agência Ensaio, SEBRAE, Gráfica JB, Radio Tabajara, SERI, Bem Mais Supermercados, Alumiaço, Casa da Refrigeração, Ricardo Miranda American Bar, Soteca e Tamborim de Ouro.
 
SERVIÇO:
I MOSTRA DE ARTE PERIFÉRICA (MAP)
Abertura: Quarta-feira (21)
Expositores: Jailson, Minelo, Lêgo, Mumia, Rotty, Cassiano, Dykwan, Darcy Lima, Mc Léo Thomas, Beto Souza, Alcelines Poffty, Joálisson Cunha, Gilvan Gonçalves, Johnny Labaredas
Curadoria : Gigabrow
Local: Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes