Mostra reúne produção de jovens que participam de oficinas de leitura

Por - em 26

As crianças e jovens participantes das oficinas de ‘Incentivo à Leitura’ e ‘Uma Janela para o Mundo’ vão fazer uma ‘Mostra de Leitura’ na próxima sexta (21), a partir das 16h, no Conventinho, situado no Centro Histórico da Capital. No local, haverá exposição de poesias e um recital organizado pelos próprios alunos das oficinas, que aconteceram nos bairros do Novais, São José e Mandacaru e são patrocinadas por um convênio entre o Ministério da Cultura (Minc) e a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Nesta primeira etapa das oficinas, participam cerca de 90 jovens. A meta, agora, é ampliar o número de comunidades atendidas por este programa de estímulo ao exercício de ler e de oficinas disponibilizadas, proporcionando aos moradores das comunidades beneficiadas um contato mais direto com o mundo da leitura e as suas diversas possibilidades.

Além da parceria com o Ministério da Cultura, diversas entidades que desenvolvem trabalhos sociais nos bairros atendidos pelas oficinas também contribuíram para a realização dos encontros, a exemplo da Organização Não Governamental ‘Cactos’, Centro da Cidadania do Bairro de Mandacaru, o Movimento de Ajuda Mútua (MAM), do bairro São José, e o Centro Popular de Cultura (CPC), do Bairro dos Novais.

Oficinas – ‘Uma Janela Para o Mundo’ tem como objetivo envolver crianças e jovens na prática da leitura como uma atividade prazerosa, buscando o encantamento poético e o envolvimento com a literatura. A iniciativa visa, ainda, superar a idéia da leitura como tarefa escolar obrigatória e fugir do uso da literatura para exemplificar conteúdos gramaticais descontextualizados. Neste sentido, a iniciativa busca a vivência cotidiana de exercitar a leitura compartilhada, a experiência afetiva com o livro, o caderno e o texto, abrindo possibilidades de se enxergar a literatura como algo vivo e pulsante.

‘Incentivo à Leitura’ – Esta oficina se propõe a minimizar a visível dificuldade existente na comunicação e expressão dos falantes da língua portuguesa, em todos os níveis escolares. Uma das formas de enfrentamento desta problemática é o desenvolvimento de projetos artístico-culturais literários dentro da escola ou em lugares alternativos, a exemplo de bibliotecas, centros sociais, associações e praças, com uma metodologia na qual possa ser implementada uma rotina mínima de leitura.