Móveis Coloniais de Acaju no Som das Seis desta sexta

Por - em 17

Quando o som de diferentes instrumentos musicais consegue misturar o rock e ska a ritmos brasileiros e do leste europeu, pode ter certeza que eles estão por perto. A tão esperada banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju se apresenta na capital nessa sexta-feira (16), no projeto ‘Som das 6’. Outra atração da noite é o grupo paraibano Burro Morto, considerado uma das principais revelações da cena musical da cidade. O evento começa a partir das 18h, no Ponto de Cem Réis. A realização é da Fundação de Cultural de João Pessoa (Funjope).

Móveis Coloniais de Acaju nasceu com a proposta de ter diferentes instrumentos – gaita, trompete, escaleta, flauta, além de guitarra, bateria e baixo. Nos primeiros anos, foram muitos shows pelo Distrito Federal, em bailes de formatura, festas de centros acadêmicos, shows de reggae, rock, metal. Depois, o grupo se aventurou por Goiânia e São Paulo.

Em 2003, Móveis Coloniais de Acaju foi a única atração local selecionada para figurar no palco principal do Brasília Music Festival. A incansável vontade de ampliar os horizontes das apresentações levou os integrantes a uma turnê de seis shows pela Europa – Bélgica, Suíça, República Tcheca e Alemanha – em agosto de 2008. Atualmente, é considerada uma das mais importantes formações da cena alternativa brasileira.

O primeiro disco, denominado “Idem”, foi gravado em outubro de 2004, no Rio de Janeiro, e lançado no ano seguinte. O trabalho reúne 12 das melhores composições da banda na época. É uma espécie de feijoada búlgara, termo gastronômico usado pelo grupo para explicar a mistura do rock, ska a ritmos brasileiros e do leste europeu.

Os novos ares sentidos nos shows pela Europa ajudaram a banda a fechar o repertório do segundo álbum. O trabalho começou a ser gravado em outubro de 2008 e foi intitulado “C MPL TE”, em referência à palavra “complete”.

Agora, no show em João Pessoa, a voz grave de André Gonzáles vai levar o público a cantar os sucessos gravados nesses dois trabalhos. Com o vocalista, também sobem ao palco os músicos BC (guitarra); Beto Mejía (flauta transversal); Eduardo Borém (gaita cromática e teclados); Esdras Nogueira (sax barítono); Fabio Pedroza (baixo); Fabrício Ofuji (produção); Gabriel Coaracy (bateria); Paulo Rogério (sax tenor); Xande Bursztyn (trombone).

Burro Morto – A banda paraibana surgiu há três anos. Ela é considerada um dos maiores destaques da atual cena musical da cidade. O grupo é formado pelos instrumentistas Haley (sintetizadores, orgão), Daniel Ennes Jesi (contrabaixo), Ruy José (bateria), Pablo Ramires (percussão) e Léo Marinho (guitarra).

Os integrantes do Burro Morto fazem uma mistura de ritmos. Juntos, eles participaram de importantes eventos da música alternativa do país, a exemplo da Feira da Música, em Fortaleza (CE); Universo Paralello, na Bahia; e Festival Coquetel Molotov, no Recife (PE). Esse último é considerado um dos eventos mais renomados da cena independente brasileira.

A banda também já realizou turnês pelos estados de São Paulo e Minas Gerais. Burro Morto teve o projeto de produção do seu primeiro álbum aprovado pelo Pixinguinha, programa cultural da Fundação Nacional de Arte (Funarte) e do Ministério da Cultura (Minc).

Mesmo com a agenda cheia de shows pelo país afora, a banda permanece produzindo músicas e realizando apresentações em João Pessoa. Na capital paraibana, o grupo possui o Estúdio 24 Horas, que é uma espécie de residência coletiva. Trata-se de um escritório de criações, bastante utilizado por diversas bandas da cidade.