Museu de História Natural da Bica oferece informações sobre meio ambiente

Por - em 1198

DSC07465 COPIAO Museu de História Natural João Aparecido Galdino, do Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), tem promovido diversas ações de educação ambiental para estudantes e visitantes do Parque. Vinculado à Secretaria de Meio Ambiente (Semam), da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), o Museu oferece ao público acesso às informações sobre histórico do Parque, consulta ao acervo fotográfico e painéis, conhecimento sobre costumes, hábitos alimentares, longevidade e habitats de aves, répteis, mamíferos e crustáceos, além de noções das técnicas para confecção de peças taxidermizadas.

A taxidermia é a prática da conservação biológica dos animais, conhecida popularmente como empalhamento. A palavra vem do grego Táxis (arranjo, organização) e Derme (pele).

Os animais conservados pelo processo de taxidermia contribuem para preservação da história e evolução das espécies, na medida em que educadores, estudantes, pesquisadores e a população em geral, tem acesso a estudos e pesquisas sobre uma grande variedade de espécies, inclusive algumas já ameaçadas de extinção ou mesmo já extintas na região.

Histórico – O Museu foi criado durante a comemoração da Semana de Meio Ambiente de 2013, no dia 7 de junho. O nome é uma homenagem ao professor João Aparecido Galdino, biólogo, taxidermista e proprietário do Museu de História Natural de Cornélio Procópio, no estado do Paraná. De acordo com Jair Azevedo, diretor do Parque, esta homenagem se deu pelo fato do professor ter sido o principal responsável pela implantação da técnica de taxidermia na Bica, passando seus ensinamentos para os profissionais. Para Jair, “as ações de Educação Ambiental, realizadas no Museu, são imprescindíveis para o processo de conscientização das novas gerações”, concluiu.DSC07532 copia

Horários – Aberto de terça a domingo, das 8h às 12h e das 14h às 16h30, com acesso gratuito para estudantes das escolas e universidades públicas, sendo cobrada uma taxa de R$ 0,50 para os demais visitantes, o Museu conta com educadores ambientais que agendam e monitoram as visitas dos alunos. O acervo conta com aproximadamente 80 peças taxidermizadas, dentre as quais 40 estão expostas de forma permanente, em um ambiente que recria o habitat natural de cada espécie. Algumas peças estão armazenadas, à disposição da comunidade para exposições itinerantes e palestras, como forma de ampliar a ação educativa.

Mais informações pelo telefone 3218-9711 ou 3218-9710.