Música, dança, teatro e circo integram Circuito Cultural nesta sexta

Por - em 158

Leitura de contos, shows musicais, além de espetáculos de teatro, dança e circo estarão presentes no Circuito Cultural das Praças desta sexta-feira (10), em diferentes bairros da Capital. O evento deste final de semana também inclui uma vasta programação no sábado (11). A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

O Circuito Cultural das Praças edição 2011/2012 selecionou, por meio de edital público, 432 apresentações para compor uma temporada de seis meses. O projeto começou em setembro do ano passado e continua até março próximo. Foram contempladas as áreas de música, cultura popular, artesanato, audiovisual, literatura, artes integradas, teatro, circo e dança. A programação conta ainda com artistas convidados da Sedes.

Ipês – A Tribo Indígena Flecha Negra se apresenta na Praça Coriolano Coutinho, a partir das 17h.  O grupo foi fundado na década de 80, em Santa Rita, com a finalidade de preservar a cultura popular da Paraíba. Traz em seus estandartes e fantasias as tonalidades das cores preto, branco e vermelho. Os participantes já conquistaram o segundo lugar no Carnaval santarritense. Hoje, o grupo é filiado à Federação Carnavalesca e participa da competição com várias outras agremiações pessoenses.

Varadouro – Na Praça Antenor Navarro, a partir das 22h, a atração é a banda paraibana Metacrose. O grupo trabalha o estilo death metal, sendo formada por Vinicius Laurindo (vocal), Israel Rêmora (guitarra), Thiago Bandeira (guitarra), Marcos Meireles (baixo) e Demetrius Pedrosa (bateria). Em 2003, os músicos gravaram o primeiro CD demo, intitulado “Trevas Abissais”, com arranjos sonoros e agressivos. Dois anos depois, participaram da coletânea “Warriors of the Morbid Moon 3” (Gravadora Moondo Records), lançada em vinil. O Metacrose participou de eventos em diversas cidades do Nordeste.

Rangel – Na Praça da Amizade, a partir das 18h, é a vez da Escola de Samba Malandros do Morro, da Torre. O grupo possui cerca de 500 integrantes, sendo 350 do enredo e 150 convidados, aproximadamente.  Foi fundado em 30 de agosto de 1956.  Suas cores são a verde e o branco brilhoso. A Associação Recreativa Escola de Samba Malandros do Morro é administrada por uma Comissão Gestora, que é um colegiado composto por oito membros. Na sede são desenvolvidos projetos e programas diversos, visando a conquista e o resgate da cidadania pela comunidade em geral.

Bancários – A partir das 19h, a Praça da Paz vai receber Morais e Banda. Geovan Morais é cantor e compositor e apresentará canções do seu primeiro álbum lançado este ano, bem como outros trabalhos autorais, além de interpretações de clássicos da MPB e da música internacional (Bob Dylan, Stones e Beatles).

Mangabeira – O Cavalo Marinho de Bayeux é a atração da Praça do Coqueiral, em Mangabeira, às 19h. Herança deixada pelo mestre Gasosa, o grupo hoje é conduzido pelo mestre Zequinha. O cavalo marinho é uma variante da brincadeira do boi e apresenta personagens humanos (como o Mateus, o Birico, o Contramestre, os Galantes), animais (o Boi, a Burra, o Bode, o Cavalo Marinho) e seres mitológicos (Jaraguá, o Arlequim e o Gigante). Rabeca, pandeiro e triângulo fazem a música para as pessoas dançarem e brincarem ao som de toadas, aboios e baianos.

Tambaú – Seu Cícero Aboiador se apresenta a partir das 19h, na Feirinha de Tambaú. O aboio é um canto sem palavras, entoado pelos vaqueiros quando conduzem o gado para os currais ou no trabalho de guiar a boiada para a pastagem. Consiste em um som lastimoso, com melodia lenta, bem adaptada ao andar vagaroso dos animais, finalizado sempre por uma frase de incitamento à boiada. Esteja atrás (no coice) ou adiante da boiada (na guia), o vaqueiro sugestiona o gado que segue tranquilo.

Manaíra – Está na programação da Praça do Skate, a partir das 19h, a banda Tribo Ras.  O grupo, que surgiu na cena musical pessoense no ano de 2008, atualmente é formado pelos músicos Kbeça (vocal), Fabiano (bateria), Giovanini (baixo), Felipe (guitarra base e back vocal), Bruno Braz (guitarra solo), Alisom (trompete), Vinícius (saxofone) e Lucas (teclado). Segundo seus integrantes, o objetivo é transmitir mensagens do verdadeiro reggae raiz – dos oprimidos, contra a repressão e do amor ao próximo.

Cidade Verde – Na Praça Encanto Verde, a partir das 19h, na Cidade Verde, está programado o Coco de Roda e Ciranda do Mestre Benedito, formado pelos filhos, netos, bisnetos, genros e amigos do brincante já falecido. Quem puxa o folguedo atualmente é a filha, Dona Teca. Ela conta que já havia a manifestação cultural no lugar onde nasceu, em Cruz do Espírito Santo, mas seu pai só começou a fazer as apresentações, de forma mais frequente, quando se mudaram para Cabedelo.

Convidados da Sedes – Além dos selecionados em edital para o Circuito Cultural das Praças, a Sedes vai levar mais atrações a quatro bairros. Na Praça da Paz, o artista convidado é o MC Éssyaga, que faz parte do biarap. Atualmente ele está iniciando um trabalho solo, depois de ter atuado nos palcos paraibanos desde 2004, participando também de outros grupos como Realidade Periférica e Reação da Periferia. Na apresentação desta sexta-feira, estão composições próprias, pontuadas com ritmos do hip hop, rap, regional e reggae.

Para a Praça Coqueiral, a Sedes convidou a banda de forró Arrocha Que Ela Gosta. O estilo é o chamado pé-de-serra, organizado por Raul Silva desde 2004. O artista já tocou no grupo folclórico do Sesc e a também em vários espaços da cidade.

Na Praça do Skate, quem se apresenta é a banda Matéria Orgânica, surgida em 2009, a partir da necessidade de desenvolver um trabalho em favor do meio ambiente e da conscientização ecológica. O estilo inclui pop rock, blues, jazz, acrescentando a dança de rua, hip hop e break.

No anfiteatro João Balula, será a vez da banda gospel Tribo de Azzai. O grupo, formado há três anos, utiliza o reggae em suas composições.

Confira a programação completa deste final de semana:

Sexta-feira (10/02)

– Bairro dos Ipês (Praça Coriolano Coutinho) – 17h

Tribo Indígena Flecha Negra

– Varadouro (Praça Antenor Navarro) – 22h

Banda Metacrose

– Rangel (Praça da Amizade) – 18h

Escola de Samba Malandros do Morro

– Bancários (Praça da Paz) – 19h

Geovan Morais e Banda

Convidado da Sedes: MC Éssyaga

– Mangabeira (Praça Coqueiral) – 19h

Cavalo Marinho de Bayeux

Convidado da Sedes: banda de forró Arrocha Que Ela Gosta

– Tambaú (Feirinha de Tambaú) – 19h

Seu Cícero Aboiador

– Manaíra (Praça do Skate) – 19h

Banda Tribo Ras

Convidado da Sedes: banda Matéria Orgânica

– Cidade Verde (Praça Encanto Verde/ Anfiteatro João Balula) – 19h

Coco de Roda e Ciranda do Mestre Benedito

Convidado da Sedes: banda gospel Tribo de Azzai

Sábado (11/02)

– Castelo Branco (Praça da Cultura) – 19h

Grupo de dança Jacoca

Reutilizarte – Artesanato

Convidados da Sedes: Banda Scream e o CG Artes – Projeto Cultural do Valentina

– Manaíra (Praça Alcides Carneiro) – 17h

Tribo Guanabara

– Bessa (Praça do Caju) – 19h

Espetáculo de dança “Nau Q Cirandô”

– Padre Zé (Praça da Conquista) – 19h

Baixinho do Pandeiro e Seu Regional

– Funcionários I (Praça Lauro Wanderley) – 19h

Espetáculo de teatro e circo “Engenho Imaginário Zé Lins o Poeta”

– Jaguaribe (Praça Aquiles Leal) – 19h

Ciganos do Esplanada

– Funcionários II (Praça Bela) – 19h

“Te conto na Praça” (literatura)

– Valentina (Praça Soares Madruga) – 19h

Orquestra de Berimbaus

– Alto do Mateus – 17h

Tribo Indígena Xavantes

– Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes (Praça da Esperança) – 19h

Tribo Tupy Guarani