Música do Mundo traz Naná Vasconcelos e Raul de Souza

Por - em 70

Oito vezes consecutivas aclamado como melhor percussionista do mundo pela revista norte-americana Down Beat, o percussionista pernambucano Naná Vasconcelos é uma das atrações do ‘Música do Mundo’ desta quarta-feira (28). Também sobem ao palco do evento o trombonista brasileiro, premiado internacionalmente, Raul de Souza, além da banda paraibana, fundada por suíços, Néctar do Groove.

O evento, que reúne os principais artistas e grupos instrumentais do Brasil e de outros países, começa a partir das 18h, no Busto de Tamandaré, na divisa das praias de Cabo Branco e Tambaú. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Naná Vasconcelos – Juvenal de Holanda Vasconcelos nasceu no Recife (PE) em 1944. Tocou pelo mundo durante duas décadas, chegando a morar em Paris e Nova York. Mesmo com tanto tempo no estrangeiro, não esqueceu as influências brasileiras, que estão presentes em toda a sua obra.

O artista aprendeu a tocar praticamente todos os instrumentos de percussão, embora nos anos 60 tenha se especializado em berimbau. O trabalho de Naná vai desde a música erudita do brasileiro Villa-Lobos ao roqueiro Jimi Hendrix. O mais recente projeto foi o “Língua Mãe”, que teve desdobramento internacional e foi concebido para fazer parte das comemorações de 50 anos de Brasília. Na ocasião, o músico pernambucano regeu 120 crianças de três países de mesma língua – Portugal, Angola e Brasil – acompanhadas pela Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, comandada pelo maestro Gil Jardim.

Nesta quarta-feira, Naná Vasconcelos vai executar um repertório que traz composições próprias, como “Berimbau” e “Vamos pra Selva”, além de parcerias e criações de outros artistas. Assim, o público presente ainda poderá ouvir, por exemplo, “Bachianas Brasileiras nº 1” e “Canto do Cisne Negro” (Heitor Vila-Lobos); “Astrologia” (soneto de Mario Quintana e música de Lui Coimbra ) e “Babylon” ( Zeca Baleiro ).

Raul de Souza – Nascido no Rio de Janeiro em 1934, o trombonista trabalhou nos anos 70 para Sérgio Mendes, Flora Purim, Airto Moreira e Milton Nascimento. Também tocou com jazzistas nos álbuns de Sonny Rollins e Cal Tjader.

Entre os anos 80 e 90, participou de sessões com Gilberto Gil, Toninho Horta, Maria Bethânia, Lisa Ono, Salena Jones, Nelson Angelo, Taiguara, João Donato e  Eloir de Moraes. Também emprestou seu talento no último disco de Jobim, o grammyado “Antonio Brasileiro”.

Em 1998, às vésperas de mudar-se para Paris, Raul de Souza lançou um CD em dupla com o trombonista Conrad Herwig, intitulado “Rio”. O trabalho foi realizado nos mesmos moldes da parceria entre J.J. Johnson & Kai Winding, considerados um dos pilares do bebop dos anos 40 e 50. Posteriormente, ainda tocou e gravou com talentos brasileiros, a exemplo de Gal Costa, Leny Andrade e astros internacionais como Lisa Ono, Selena Jones e Joyce Collins.

Néctar do Groove – O som da banda vai desde o baião paraibano até o jazz mais underground de Zurick, na Suíça. A apresentação no Busto de Tamandaré será marcada pela liberdade de arranjos criativos.

O Néctar do Groove surgiu na capital paraibana em 2006. A ideia foi dos irmãos suíços Stephan Tomas (saxofone) e Peter Bühler (percussão). Ambos começaram a fazer jam sessions, que significa improvisações, com Victorama (bateria), Orlando Freitas (baixo) e Cristiano Oliveira (viola caipira). Hoje a banda também conta com o guitarrista Marcelo Macedo.

Confira o restante da programação do Música do Mundo 2011:

28/12 (quarta-feira)

A partir das 18h

Néctar do Groove, Naná Vasconcelos e Raul de Souza

29/12 (quinta-feira)

A partir das 18h

JPSax, Beto Tavares e Toninho Horta

30/12 (sexta-feira)

A partir das 18h

Duo Fel, Wagner Tiso e Banda 5 de Agosto,e  Hermeto Pascoal