Músicas e estilos variados agitam noite do ‘Estação’, na Praça da Paz

Por - em 24

Música para todos os gostos e estilos. Foi assim a sexta noite do projeto Estação Nordeste, que teve os shows dos grupos ‘Tribo Éthnos’, ‘Cabeça Chata’ e ‘Unidade Móvel’, que se apresentaram na Praça da Paz do Bairro dos Bancários, na quinta-feira (17).

A primeira banda a subir no palco foi a ‘Tribo Éthnos’ que, com um vestuário personalizado, reuniu dança e música. No repertório, canções que relembram cânticos antigos de povos indígenas e africanos.

Com 18 anos de formação, a ‘Éthnos’ também faz uma mistura da música urbana, hip-hop e regionalismo. Com um show interativo, a banda convidou o público a dançar e um dos pontos altos do evento foi a apresentação do grupo ‘’Tribo Éthnos de Dança’, projeto social desenvolvido pelo vocalista Vant Vaz com adolescentes, que mostraram belas coreografias do hip-hop ou dança de rua.

Também se apresentaram os alunos da oficina de dança da associação de moradores do Bancários. O show teve as presenças especiais de músicos convidados das bandas ‘Cabeça Chata’, ‘Ôdecasa’ e a cantora Mira Maya.

No segundo show da noite, muito rock para o público. Em sua segunda participação no projeto Estação Nordeste, a banda ‘Unidade Móvel’, formada por Igor Ayres (voz e baixo); Marcos Rosa (guitarra) e Flávio Boy (Bateria), trouxe no repertório músicas de novo CD intitulado ‘Em tempo real’. ‘Sinal de fumaça’, ‘Páginas’, ‘As pedras’, ‘Acesso negado’ e ‘Gravidade’ foram algumas das canções interpretadas no show.

Já passava das 23h quando a última banda começou a tocar. ‘Cabeça Chata’, na estrada há 10 anos, tem um som bem particular e mistura ritmos regionais com rock e samba. No repertório, músicas do mais novo trabalho ‘Oi nóis aqui outra vez’, que animaram o público.

Análise do público – Com uma filha e três netos, o aposentado Manoel Ribeiro, de 69 anos, era um espectador atento dos shows. “Sou um apaixonado por cultura e esse projeto dá a possibilidade dos mais jovens terem acesso à música de qualidade e de graça. A escolha do mês também foi ideal, porque janeiro é período de férias e as pessoas podem conferir os shows. A Prefeitura está de parabéns”, enfatizou.

De geração diferente, mas com a mesma opinião, a estudante universitária Isabel Quirino, de 21 anos, disse que não perde uma apresentação. “Até agora fui a todos os shows, tanto na praia, no Centro Histórico e nas praças. As bandas são maravilhosas e os shows alcançam todos os públicos, devido a diversidade de ritmos”, comentou.

O ‘Estação Nordeste’ é uma iniciativa da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através de sua Fundação Cultural (Funjope), e conta com o apoio do Ministério do Turismo. O evento está em sua terceira edição e vai até o próximo dia 25. As apresentações acontecem no Busto de Tamandaré, Centro Histórico e em praças da Capital.