Músico baiano Armandinho faz show no Sabadinho Bom

Por - em 20

Com mais de 45 anos dedicados à música instrumental brasileira, o cantor e compositor baiano Armandinho será a atração do ‘Sabadinho Bom’ deste final de semana. O artista, já indicado ao Grammy Latino com o CD “Retocando o choro ao vivo”, vai mostrar porque é considerado um virtuose no bandolim e na guitarra. O projeto começa a partir das 12h deste sábado (24), na Praça Rio Branco, Centro da Capital. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Aos dez anos de idade, Armandinho deu seus primeiros passos musicais, puxando o Trio Elétrico mirim que seu pai, Osmar, fez especialmente para ele. Participou, no final dos anos 70, do grupo A Cor do Som. A banda é considerada precursora de uma nova tendência: unir a música regional ao rock. A experiência deu certo e culminou com a apresentação no Festival de Montreux, na Suíça, em 1978.

Armandinho está intimamente ligado tanto ao frevo como ao choro. Em 1994, com o luthier Jorge de Itacaranha, ele construiu o primeiro bandolim de dez cordas. Ao longo de sua jornada instrumental, gravou vários discos, entre os quais “Retocando o Choro” e “A Voz do Bandolim”, e continuou realizando shows no Brasil e exterior.

Em 2007, Armandinho realizou diversas apresentações no País, com o show “Pop Choro”, que seria o título de seu CD de 2009, pela gravadora Biscoito Fino. Nesse espetáculo autoral, o artista dedilhou os seus maiores sucessos instrumentais, alguns compostos com grandes parceiros como Sivuca (“Forro Bachiano”), Pepeu Gomes (“Sarajevo”) e Luis Brasil (“Pororocas”, “Lembrando Jacob” e “Jazziquefrevo”,). No álbum também é destaque duas músicas em homenagem a Jacob do Bandolim (“Noites Cariocas”) e Ary Barroso (“Aquarela do Brasil”).