No Dia de Luta Contra a Aids, na Lagoa, 4 testes dão positivo

Por - em 41

Distribuição de preservativos, realização de teste rápido de HIV e orientações sobre AIDS e doenças sexualmente transmissíveis. Essas foram as atividades gratuitas feitas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), na manhã desta terça-feira (1º), no Parque Solon de Lucena, em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Entre os testes realizados, quatro deram positivo.

De acordo com o coordenador da Seção DST/Aids, Roberto Maia, foram realizados 160 testes rápidos e gratuitos em pessoas que estavam passando pelo Parque Solon de Lucena. Quatro desses resultados deram positivo, índice que preocupa. “A incidência de pessoas vivendo com HIV em João Pessoa é de 0,5%. No caso da manhã de hoje, a incidência foi de 2,5%, um aumento 400%”, comentou.

Roberto disse ainda que os quatro casos que deram positivo foram de homens entre 20 e 70 anos, que vivem com o HIV sem saber. “O que tem que ser feito já esta sendo feito. Há a distribuição gratuita de preservativos para todas as pessoas e também existe o teste, que é gratuito. Essas duas ações são descentralizadas. A distribuição de preservativos acontece em todas as unidades de saúde da família e no CTA e o teste rápido pode ser feito no CTA, no Cais Cristo, e nas unidades de saúde de Cruz das Armas e do Róger. Além do teste rápido, tem o teste que o resultado sai entre oito e dez dias, que é feito no CTA e no Clementino Fraga”, explicou.

O coordenador da Seção DST/Aids esclareceu que este ano o foco especial da campanha é para mulheres com idades entre 30 e 60 anos, pois esse grupo está com maior número de casos registrados desde 2005. “Hoje não existe mais grupo de risco, e sim comportamento de risco. As mulheres contaminadas vivem relacionamentos estáveis e foram contaminadas por seus parceiros, e é preciso um trabalho de conscientização dentro das famílias”, afirmou o coordenador.

Maria do Carmo, 38 anos, se enquadra nesse perfil e não se importou em esperar pela sua vez de fazer o teste. “Precisamos cuidar da nossa saúde e quanto mais cedo eu descobrir se tenho alguma coisa, mais cedo eu começo a me tratar”, afirmou a dona-de-casa. O teste rápido demorou cerca de 10 minutos para ficar pronto e foi entregue individualmente, num local reservado, acompanhado por um profissional da Secretaria de Saúde.

Até o mês de setembro de 2009, mais de 78 mil testes de HIV foram realizados na Capital, um aumento de 500% em relação ao último levantamento, em 2004.  Em outubro, a SMS realizou uma oficina para o plano para Elaboração do Plano de Ações e Metas (PAM) no combate ao HIV e doenças sexualmente transmissíveis para o ano de 2010, que pretende estabelecer a descentralização do sistema de coleta de exames HIV e programar uma política de prevenção e tratamento das DST/AIDS dentro dos presídios e terreiros de umbanda, além de aumentar o trabalho de educação sexual nas escolas.