Noite de rock progressivo e blues no Estação Nordeste

Por - em 54

Na noite desta sexta-feira (16), do Festival Estação Nordeste segue com a sua programação, movimentando o Centro Histórico da Capital, com shows das bandas ‘Zé Viola Progressive Band’ e ‘Blues Etílicos’, no palco instalado na Praça Antenor Navarro, a partir das 21h, numa promoção da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

A banda ‘Zé Viola’, primeira atração da noite, é um projeto idealizado pelos músicos André Nóbrega (guitarrista e vocalista) e Helder Laurentino (guitarrista e backing vocal), que surgiu há cerca de um ano e meio, com a proposta de misturar a linguagem regional ao rock progressivo, ambos com influências década de 70 e linguagem atual.

O nome Zé Viola vem de uma homenagem aos músicos Zé Guilherme e Chico Viola, pela musicalidade e atitude compatíveis com a expressividade regional desses artistas. A extensão final do nome ‘Progressive Band’ é inspirada no rock progressivo e em um dos maiores nomes desse gênero, a banda Pink Floyd, que também é a junção de nomes de dois artistas da época admirados pelos integrantes.

O grupo, que já se apresentou em importantes eventos musicais da região, a exemplo do ‘Projeto Seis e Meia’, ‘Glória Vasconcelos’, além de apresentação no Pátio de São Pedro, em Recife (PE), é formado pelos músicos André Nóbrega (guitarra, pandeiro e voz), Helder Laurentino (guitarra, triângulo e vocal), Edy Gonzaga (baixo) e Nielsen Batista (bateria). Atualmente, a banda prepara material inédito para o lançamento do primeiro CD com elementos regionais, populares e progressivos.

A segunda atração da noite é a Banda ‘Blues Etílicos’, formada em 1985 no Rio de Janeiro, quando todos os integrantes tinham 22 anos de idade. A banda, que se dedica à mistura entre blues e rock, lançou o primeiro LP pelo selo independente ‘Satisfaction’ em 1988, intitulado ‘Blues Etílicos’, ao qual se seguiram outros cinco. O primeiro disco obteve vendagem expressiva para um projeto independente e foi relançado em CD em 1996.

O grupo firmou-se como uma das poucas bandas de blues em atividade no Brasil e a que mais vende discos no gênero. A formação atual conta com Flávio Guimarães (gaita), Otávio Rocha (guitarra), Cláudio Bedran (baixo), Rodolpho Rebuzzi (guitarra), Pedro Strasser (bateria) e Greg Wilson (guitarra e voz). O álbum ‘Dente de Ouro’, de 1996, insere ritmos tipicamente brasileiros, como baião e capoeira, na sonoridade norte-americana do blues.