Nova edição da Coleção ‘João Pessoas’ é lançada nesta quinta

Por - em 46

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) lança nesta quinta-feira (28), às 17h, no Terraço Panorâmico da Estação Cabo Branco Ciência Cultura e Artes, no Altiplano, a segunda edição da Coleção ‘João Pessoas – A Memória da Cidade’, que homenageia o cantor e compositor Parrá; o carnavalesco Jocemar Chaves e o artista plástico Flávio Tavares. São três volumes, somando 308 páginas, acompanhados por um DVD com um documentário, que conta a trajetória da vida dos homenageados, resgatando o legado cultural deixado ao longo dos anos na cidade que escolheram para viver: João Pessoa.

Na ocasião, será apresentado um vídeo informativo explicando a importância do projeto, além da distribuição dos exemplares para as pessoas presentes no evento. A coleção também fará parte do acervo das bibliotecas públicas e de escolas municipais, além de várias instituições. A primeira edição homenageou o jornalista Gonzaga Rodrigues; o escritor Ascendino Leite e a professora Elisa Mineiros. O ‘João Pessoas’ é um projeto da Prefeitura de João Pessoa, em parceria com as Secretaria de Comunicação (Secom), de Educação (Sedec) e Patrimônio Cultural (Probech).

Os homenageados – Flávio Tavares foi homenageado no quarto volume da segunda edição da coleção. Na crítica que segue nas páginas sete, oito e nove, o coordenador do Patrimônio Cultural de João Pessoa, jornalista Fernando Moura, diz que “Flávio Tavares é quem melhor traduz Flávio Tavares. Basta ler seus quadros. Melhor que vê-los, é decifrar nas entrelinhas das formas e cores o homem por trás da obra. Simplicidade e plenitude são sensações que afloram aos olhos dos que se dispõe a enxergar além da retina, nessa leitura dos sentidos, em busca do enlevo…”.

Várias pessoas e amigos estão presentes nesse exemplar, falando do legado cultural que o artista deixou e ainda deixa na Capital paraibana. Eudes Rocha fala da paixão pelo fantástico e Lúcia França fala da arte, poesia e história. Outros amigos também fazem parte do acervo: Hermano José, Miguel dos Santos, Rosely Garcia, Teresa Tavares e Gabriel Bechara.

Já no quinto volume, dedicado ao músico Parrá, o jornalista Fernando Moura revela que o artista é “quase uma lenda viva na Paraíba, pelo talento artístico, pelo despojado estilo de vida e por espalhar, ao seu rastro de andarilho, casos e causos vividos ou inventados por ele próprio…”.

As páginas seguintes registram frases, pensamentos e sentimentos de várias personalidades, que exprimem em texto a importância do artista para a Capital paraibana. São eles: o poeta Lau Siqueira, o jornalista Walter Santos e os amigos Valtinho do Acordeom, Joça do Violão, Carlos Aranha, Carlos Anísio, Ricardo Anísio, Raimundo Bola Nonato, Chiquinho Mino e Krislaine Oliveira. Além disso, estudantes, professores, pesquisadores e o público em geral terão acesso às entrevistas, imagens e recortes de Parrá.

O sexto volume da segunda edição do ‘João Pessoas – A Memória da Cidade’ fala sobre o carnavalesco Jocemar Chaves. Segundo Fernando Moura, Jocemar é um artista popular, servidor público e festeiro temático. “É um cidadão que se confunde com a própria memória do lugar, encarnando o espírito de muitos que não conseguem o necessário espaço para expor suas emoções, idéias e esperanças”, disse Moura em sua crítica registrada neste exemplar.

Para homenageá-lo, o jornalista Gilson Renato fala sobre ‘Um homem feito de Cidade’ e Ulisses Barbosa, fala sobre ‘A estrela sem o brilho do holofote’. A família e amigos também estão presentes nas linhas dessa coleção, como Maria da Paz Padilha Chaves, Oswaldo Padilha Chaves, Kátia Kelly Simpson, Jocemar Chaves Júnior, Maria Edileuza Gomes de Lucena, Hermógenes Bonfim, dentre outros.