Nova edição de baile de máscaras da Ladeira da Borborema será na sexta

Por - em 43

Foliões fantasiados e mascarados terão entrada franca no ‘II Baile de Máscaras da Ladeira da Borborema’, que acontece na próxima sexta-feira (18) no Ateliê Multicultural Elioenai Gomes (Ameg), localizado na Ladeira da Borborema, 101, próximo à Basílica de Nossa Senhora das Neves, no Centro Histórico de João Pessoa.

A festa começa às 23h (após concentração e descida da ladeira), com orquestra de frevo, DJs e artes circences, entre outras atrações. Aqueles mais ousados, que irão caprichar em seus adereços durante a noite, estarão concorrendo a prêmios para a fantasia e máscara nas categorias originalidade e luxuosidade. A promoção é do Ameg com apoio da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

O evento deve reunir cerca de 300 pessoas convidadas, entre jornalistas, empresários, professores, escritores, poetas, artistas, agentes culturais, políticos, publicitários, entre outros. A novidade deste ano para o ‘II Baile de Máscaras’ é que estão sendo oferecidos camarotes temáticos e mesas no local e que já podem ser reservados. Na recepção do ateliê também podem ser adquiridas máscaras exclusivas.

O baile será a prévia do bloco carnavalesco ‘Folião de Ladeira Abaixo’, que sai pela segunda vez este ano homenageando novamente o poeta morador da Ladeira da Borborema, Manoel José de Lima (Caixa D’água), falecido há dois anos. Figura assídua nos eventos culturais, políticos e do Centro Histórico, ele já fazia parte da paisagem, junto aos prédios antigos e monumentos seculares. Durante o evento será apresentado o estandarte oficial do bloco.

Com versos do poeta, ‘Ladeira da Borborema tu é maior do que eu / Mas eu me assubo em tu e tu num assobe neu’, o bloco ‘Folião de Ladeira Abaixo’ sai no próximo dia 25 na abertura do Projeto Folia de Rua. A concentração será em frente ao Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, a partir das 19h, com muito som e alegria. A descida da ladeira acontecerá por volta das 22h, junto com ‘Anjo Azul’ e ‘Bloco da Limpeza’.

De acordo com artista plástico paraibano Elioenai Gomes, a homenagem a Caixa D’água se dá “por sua poesia que é um convite à celebração do belo e do simples. Daí que escolhemos essa frase tão original para compor o hino do nosso bloco”, explicou.

Ainda conforme o artista plástico, o ateliê (Ameg) é um espaço que trabalha com a inclusão de moradores da cidade, em especial os jovens, no processo de desenvolvimento e promoção do turismo no Centro Histórico.

“E isso é feito por meio de ações específicas voltadas à inclusão social, o resgate da identidade cultural, da cidadania e a integração dos moradores da área. O ambiente conta com uma galeria de arte, salas destinadas à realização de atividades culturais variadas, a exemplo de capacitações, oficinas de artes, palestras, loja de artesanato, além de uma área reservada para eventos”, acrescentou. Mais informações pelo telefone 9143-3528.