Nova edição do ‘Palavra Plantada’ ocorre na Bica, próximo domingo

Por - em 46

Os amantes da poesia podem conferir, no próximo domingo (1º de junho), a partir das 14h, no ‘Largo da Fonte Tambiᒠdo Parque Zoológico Arruda Câmara (Bica), mais uma edição do ‘Projeto Palavra Plantada’, que neste encontro celebra três anos de existência com poesias, performances e rodas de leitura. Neste período, o projeto acolheu poetas, músicos, estudantes, professores, grupos culturais e a comunidade, com variadas expressões artísticas e, principalmente, mantendo a característica informal. O acesso ao parque onde acontece o evento tem custo simbólico de R$ 1,00.

Na ocasião, acontece a apresentação da ‘Quadrilha Junina de Mandacaru’, uma expressão do ciclo junino, e ainda performances poéticas com Carlos Araújo e Marco de Aurélio, além da ‘Roda de Poesias, Leituras e Cantorias’, que já se tornou um componente do cenário do projeto.

Parceria – O evento, promovido numa parceria entre um grupo de artistas, a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam), acontece sempre no primeiro domingo de cada mês, com o objetivo de atrair moradores, artistas e visitantes da cidade para uma atividade lúdica de caráter educativo e de inserção e socialização através das artes, em especial a poesia. Além de tudo, ocorre numa reserva florestal que constitui um dos espaços públicos mais importantes da Capital.

Os participantes podem levar livros, instrumentos musicais, poemas manuscritos, lembrando que a música a ser executada no local não comporta o uso de equipamentos eletrônicos ou amplificados, adequando-se desta forma ao ambiente, com o intuito de não incomodar os animais do parque, mas provocar sensações de relaxamento.

Incentivo – Segundo a professora e escritora Nara Limeira, uma das idealizadoras do encontro, em depoimento dado ao site www.oinformativo.net, trata-se de um instrumento de “incentivo à leitura poética fora dos muros da escola, mostrando que esta atividade está muito mais voltada para o prazer do que para a mera obrigação de tarefas escolares. Além disso, é um espaço de amplo acolhimento a novos talentos, escritores e também leitores de poesia. Algumas pessoas têm pavor de falar em público e ali, durante o evento, elas vão exercitando e percebendo seus potenciais, vencendo suas limitações de timidez e insegurança”.

Limeira acrescenta ainda que “o grande fruto é o próprio projeto sedimentado, acontecendo mensalmente há dois anos e sem interrupção. Aproveito para convidar você, leitor, a se permitir experimentar do ‘Palavra Plantada’, um fruto de rara beleza e sabor. Aquilo que brota de dentro da natureza que é um alimento forte e delicioso”, concluiu.