Novo projeto da Funjope estreia 2ª misturando dança e teatro

Por - em 26

‘Vértice’. Este é o nome do mais novo projeto desenvolvido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) que faz a junção entre a dança e o teatro. O evento será aberto na próxima segunda-feira (26) com uma oficina de teatro no Centro Cultural Piollin, das 14 às 17h. O projeto acontece até o dia 30 de setembro (sexta-feira), com oficinas e espetáculos em mais dois lugares: Teatro Ariano Suassuna e Casarão Filipéia.

O Projeto ‘Vértice’ está programado para acontecer mensalmente, durante uma semana, sempre com oficinas e espetáculos em espaços públicos, a exemplo de praças, ruas e teatros. A primeira edição do projeto traz o grupo de teatro carioca ‘Companhia das Inutilezas’, que irá ministrar oficina e apresentar o espetáculo ‘Não tem nem nome’, nos dias 27, 28 e 29, às 19h30, no Centro Cultural Piollin.

Já a atração de dança é a bailarina e coreógrafa Tatiana Rosa, que se apresenta na sexta-feira (30), às 20h, no Teatro Ariano Suassuna com o espetáculo solo ‘Corpo algodãozado (2008). A artista também vai ministrar as oficinas de dança nos dias 27, 28 e 29, das 9h às 12h, no Espaço Paralelo do Casarão Filipéia, localizado no Largo de São Frei Pedro Gonçalves, Centro Histórico. No espaço das oficinas será desenvolvido trabalho de educação somática focado na questão do risco e do desequilíbrio físico e emocional.

‘Corpo algodãozado’ – Em ‘Corpo algodãozado, o procedimento de ‘falar/fazer’ consiste em borrar as situações de palestra, de ‘falar sobre’, com as situações artísticas. Segundo Tatiana Rosa, a ideia é “colocar em relevo a condição de performance de ambas, admitindo o risco do engajamento pela sensação e pelo movimento no falar e na elaboração intelectual e verbal”.

A bailarina, coreógrafa e professora de dança Tatiana Rosa, é mestra em Educação pela Universidade Federal do Rio grande do Sul (UFRGS), já atuou em diferentes instituições de arte, inclusive no exterior e tem experiência na área de artes, com ênfase em coreografia, atuando principalmente nos temas da dança contemporânea, poética, pesquisa em dança, processos colaborativos, educação somática, improvisação, dança pós-moderna norte-americana, trishabrown e corpo.

‘Não tem nem nome’ – O espetáculo se estrutura em conceito contemporâneo de dramaturgia. Idealizado por um grupo de jovens artistas que residiam no Rio de Janeiro, o espetáculo é guiado por perguntas íntimas a algumas pessoas num encontro antes do espetáculo, com intuito de compartilhá-las entre atores e público, numa espécie de encontro teatral. No primeiro momento, cada espectador marca um encontro com um dos integrantes do grupo para uma conversa sobre a vida a partir de um tipo de questionário previamente preparado. Em seguida, o grupo reúne as impressões e histórias encontradas nestes encontros e formula o roteiro para o momento seguinte. Os atores estarão disponíveis, no espaço de apresentação para quem quiser participar do primeiro encontro, quatro horas antes do espetáculo.

A peça possui uma estrutura fixa, com histórias que são sempre contadas, cenas que são realizadas, com um espaço para incluir histórias do primeiro encontro, portanto ele não é obrigatório. O segundo encontro se constituí com a execução da peça, que dura aproximadamente duas horas e meia e acontece entre o público e os atores. Os espectadores vão encontrar aquilo que o dramaturgo pensou a partir do primeiro encontro e de tantas outras fontes de pesquisa que fizeram parte da criação da peça, a exemplo da história dos próprios atores e depoimentos de pessoas na rua e músicas.

Oficina de teatro – Acontece nos dias 26, 27 e 28, das 14 às 17h, no Centro Cultural Piollin. A oficina busca através da criação de histórias pessoais, trabalhar com fragmentos de eventos que irão compor um mapa afetivo, que se constituirá na relação entre o indivíduo e a situação que o processo propõe. A idéia é partir das individualidades de cada um através de objetos, fotos, diários, escritos e depoimentos que lhes sejam importantes para a criação de suas próprias narrativas, para depois tornarem-se coletivas e constituírem assim o imaginário do grupo.

Serviço – Inscrições para oficinas de dança e teatro pelo telefone 3218-5502, em horário comercial. Os interessados devem falar com Amina Carvalho.