Número de casos de dengue na Capital é um dos menores do país

Por - em 16

De acordo com o primeiro Levantamento Rápido dos Índices de Infestação do Aedes Aegypti (LIRAa) divulgado pelo da Ministério da Saúde (MS), a cidade de João Pessoa é uma das seis capitais do país que apresentam melhor situação em relação ao número de casos de dengue registrado em 2010. Nestes primeiros 35 dias do ano foram registrados cinco casos da dengue clássica e nenhum da versão hemorrágica, que pode ser fatal.

Os índices do Ministério da Saúde são divididos em três categorias: Satisfatório, Alerta e Risco. Das nove capitais da região Nordeste, apenas João Pessoa e Piauí apresentaram situação satisfatória. Dentre as outras capitais Macapá (AP), Campo Grande (MS), Curitiba (PR) e Florianópolis (SC) se encontram na mesma posição em relação aos números do Aedes Aegypti.
Os números divulgados pela Secretaria de Saúde do Município mantêm a média de 2009, quando a Capital conseguiu uma redução de 87,2% nos casos de dengue clássica e nenhuma morte pela doença foi registrada.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Gerência de Vigilância Ambiental, redobrou as ações de controle da doença, através das visitas dos agentes ambientais em locais de risco, com identificação e tratamento dos focos de dengue detectados. Também está sendo feita a distribuição de material educativo e a capacitação dos profissionais que atuam diretamente no combate e controle da doença. Com o aumento das chuvas e o período de férias, é comum um aumento nos registros de casos da dengue.

Plano de Contingência – Lançado em novembro de 2009, o Plano Municipal de Contingência da Dengue foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde e contou como componentes norteadores a gestão municipal, assistência ao paciente com dengue, organização do processo de trabalho da rede, qualificação de profissionais, atuação da vigilância epidemiológica, mobilização, controle vetorial e monitoramento. O plano prevê ainda a realização de campanhas educativas que serão executadas ao longo de 2010 e da qualificação dos profissionais que atuam no combate à doença.

Em janeiro de 2010, a Secretaria Municipal da Saúde consolidou uma das metas propostas pelo plano, quando qualificou os profissionais da atenção primária à saúde com o objetivo de promover uma assistência adequada aos pacientes contaminados. No período de 12 a 22 de janeiro durante os dois turnos, foram qualificados todos os profissionais (médicos e enfermeiros) da Atenção Básica para diagnóstico, manejo clínico e classificação de risco do paciente com suspeita de dengue.