Obras de infraestrutura no Timbó foram antecipadas pela PMJP

Por - em 118

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) se antecipou à reivindicação da população da 14ª Região Orçamentária do Orçamento Democrático (OD), e iniciou, no início deste mês, as obras de urbanização na Comunidade do Timbó. Os moradores tinham elegido a urbanização dessa Zona Especial de Interesse Social (Zeis) para o orçamento de 2013.

Apenas com serviços de drenagem, contenção, estabilização de encostas, pavimentação e saneamento, o investimento chega a R$ 9 milhões.  Outra intervenção na comunidade do Timbó é a construção de casas destinadas às famílias que vivem em moradias sem habitabilidade. As duas intervenções totalizam R$ 13 milhões.

Durante visita à comunidade, o prefeito lembrou que as obras de infraestrutura são uma reivindicação dos moradores do local há mais de 30 anos. Segundo ele, a PMJP está pagando uma dívida que a população de João Pessoa tinha com os moradores do Timbó. “Serão várias intervenções, principalmente de pavimentação”, disse. O Timbó foi, por muito tempo, um local de onde se retirava material para obras de construção na cidade.

O secretário executivo do OD, Rômulo Halysson, ressaltou que o poder público se antecipou porque as políticas públicas devem ser estruturantes, objetivando atender o maior número de pessoas possível e diminuir as desigualdades sociais. “O Orçamento Democrático alia política pública com planejamento e diálogo com a população”, disse.

Segundo ele, durante a primeira etapa se percebeu que muito do que a PMJP tem planejado como política estruturante, em termos de infraestrutura, saneamento e equipamentos sociais a médio e longo prazo, acabaram por integrar as demandas que a população elegeu na primeira etapa do Ciclo do Orçamento 2012.

Audiência – A Audiência Regional da 14ª Região Orçamentária foi realizada no dia 27 de março deste ano, na Escola Estadual de Ensino Médio Presidente Médici, no conjunto Castelo Branco. Na ocasião, os moradores que preencheram o Formulário de Demandas elegeram em primeiro lugar a urbanização da Zeis do Timbó, com 13,24%, seguido pela construção de uma praça no Castelo Branco, com 10,80%, e a regularização fundiária da comunidade Eucalipto, com 10,10%.