Obras na Comunidade do S avançam e famílias são encaminhadas para novas residências

Por Max Oliveira - em 569

Com o avanço das obras da primeira etapa do Projeto de reurbanização da Comunidade do S, na região do Baixo Roger, 45 famílias remanescentes do local iniciaram, nesta terça-feira (10), o processo de mudança das antigas casas para o auxílio-moradia pago pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). Uma operação formada pelas secretarias de Habitação (Semhab), Infraestrutura (Seinfra), Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e Desenvolvimento Social (Sedes), além da Defesa Civil, está auxiliando os moradores.

No local, que hoje é considerada área de risco e insalubre, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) vai realizar as obras de infraestrutura e saneamento básico, construção de áreas de convivência como anfiteatro e playground, para, em seguida, dar início à construção das 467 unidades habitacionais. Durante esse período, as famílias afetadas vão ser amparadas pela Prefeitura com o auxílio-moradia, como destaca Socorro Gadelha, secretária de Habitação Social (Semhab).

“A gestão do prefeito Luciano Cartaxo só leva as pessoas para as suas casas quando elas estão dotadas de infraestrutura, e é isso que nós estamos fazendo inicialmente, que é tirar esses moradores de uma área de esgoto, para que elas voltem quando os apartamentos estiverem construídos e com todas as condições – e isso significa moradias com dignidade”, disse a secretária, ressaltando que todo esse processo foi realizado com diálogo junto aos moradores. “Foram várias reuniões, e eles entenderam a importância do nosso projeto”, pontuou.

Já o secretário de Desenvolvimento Social (Sedes), Diego Tavares, disse que as próprias famílias estão escolhendo as casas onde irão ficar durante o período do auxílio-moradia, e que, além desse apoio, elas também estão contando com acompanhamento de assistentes sociais. “Os valores referentes ao auxílio-moradia já estão à disposição dos moradores, para que eles possam sair daqui com toda segurança, fazendo suas escolhas, inclusive, contando com apoio da Prefeitura na hora da mudança”, afirmou.

Quem mora há mais de 20 anos na antiga Comunidade do S, como Mauro da Silva Rodrigues, garante que o sentimento é de esperança de uma vida melhor, com mais qualidade e dignidade. “Eu sei o que já sofri aqui, convivendo até com ratos, num local que tem muita doença. Estou saindo com a consciência de que vou voltar pra um lugar melhor, e a Prefeitura nos deu essa segurança, quando realizou as reuniões de apresentação das novas casas e de tudo que a gente vai ter aqui”, afirmou.