Ocupação cultural do Centro Histórico é tema de reunião intersetorial

Por - em 124

O planejamento intersetorial do projeto ‘Corredor Cultural’ foi tema de reunião realizada pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) com as secretarias de Meio Ambiente (Semam), Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Infraestrutura (Seinfra) e a Polícia Militar (PM). O objetivo do encontro é diagnosticar ações que podem proporcionar mais conforto e segurança ao público presente nos eventos de ocupação cultural do Centro Histórico.

Para Milton Dornellas, o trabalho intersetorial é primordial para o bom andamento do projeto, que está sendo ampliado a cada semana, com boa aceitação da população. “Nós discutimos ações conjuntas para oferecer mais conforto e segurança aos frequentadores”, explicou. “Entre as iniciativas está o reforço da iluminação dos locais onde acontecem os eventos e também a análise para possíveis podas de árvores no entorno da Casa da Pólvora e da Praça Rio Branco”, exemplificou.

O projeto ‘Corredor Cultural’ abrange vários eventos: ‘Corredor Cultural’, no Beco da Cachaçaria Philipéia; ‘Sabadinho Bom’, na Praça Rio Branco; ‘Chama Forrozeira’, no Ponto de Cem Réis; e ‘Domingo É Dia’, no Beco da Cachaçaria Philipéia e na Casa da Pólvora. A Funjope está estudando agora a viabilidade de mais ações de ocupação do Centro Histórico, desta vez nos becos da Faculdade de Direito e do Sapateiro (Travessa Frutuoso Barbosa).

O objetivo dessa extensão nas ações da Funjope é ampliar ainda mais a participação popular na região tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). “Estamos ainda planejando ocupar com artesanato e antiquário as praças Rio Branco e a Dom Adauto. Isso está sendo discutido”, observou Milton Dornellas.