Oficina de Artes da Emlur entra na folia com material reciclável

Por - em 87

Pensando na proximidade do carnaval, a Oficina de Artes da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) vem se preparando para a folia, com muita cor e criatividade, mas valorizando a necessidade de reaproveitamento de materiais. Desde o início de janeiro, os artesões e artistas plásticos da oficina estão confeccionando adereços para decorar a sede da Autarquia e adornar os foliões do Bloco da Limpeza, que sairá na sexta-feira (05), a partir das 22h, do Ponto de Cem Réis, no Centro.

A oficina já fez o trabalho de recuperação dos antigos estandartes do bloco e está preparando enfeites para a decoração da Praça Vidal de Negreiros com alegorias que representam alguns personagens do carnaval como o pierrô e o alerquim, além de outras surpresas alegóricas para o desfile. Oito artesões da oficina estão trabalhando na produção de vários adereços carnavalescos como colares, cordões e máscaras, que serão distribuídos aos servidores da Emlur durante a folia.

Os adereços são confeccionados com materiais que as pessoas costumam jogar normalmente no lixo como papelão, plástico, vidro e alumínio. Mais de 50 colares já foram produzidos a partir de embalagens de produtos de limpeza e de beleza, tampas de garrafas pet, canudos, lacres de latas de alumínio, entre outros. Isso mostra que é possível dar uma nova vida útil aos descartados e festejar o carnaval de forma mais econômica.

Além dos colares, os artesãos da oficina estão confeccionando outros enfeites como sombrinhas de frevo e tiaras alegóricas, feitas com papelão. Vários tipos de máscaras já foram confeccionados de acordo com o gosto e a moldura do rosto do funcionário que as solicita à oficina. É o caso da servidora Isabel Cristina Leitão, que já encomendou a sua tiara. “O carnaval é alegria, enfeite, diversão e a gente tem que se produzir um pouco mais para festejar, por isso, pedi que a oficina confeccionasse minha máscara”, afirmou. As máscaras são feitas com papelão, resto de jornal e adornadas com paetês, brilho e tecido.

Segundo Roberto Carvalho, artista plástico e diretor da Oficina de Artes da Emlur, a produção de adereços carnavalescos a partir de materiais recicláveis ajuda tanto ao meio ambiente quanto aos foliões. “Quando se produz um adereço para o carnaval a partir de materiais recicláveis, podemos economizar, brincando de forma barata e ecológica”, explicou.

Para o superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, o reaproveitamento de descartados é uma necessidade social e ambiental. “O trabalho de produção de adereços de carnaval com materiais reaproveitáveis dá uma nova perspectiva aos foliões que podem reciclar o lixo que produzem para o carnaval. Além disso, gera emprego e renda para a população, já que esses adereços podem ser confeccionados e comercializados por artesãos”, afirmou.

Dica – O folião que quiser confeccionar um adereço simples, bonito e econômico pode seguir o passo a passo realizado por Roberto Carvalho para a produção de um colar havaiano. Os materiais necessários para tal são: fita náilon; embalagens coloridas de produtos de limpeza, como desinfetantes, amaciantes ou xampus; vela e fósforo; prego pequeno para furar e canudos coloridos de plástico.

O primeiro passo é fazer as miçangas do colar. Para isso, pegue as embalagens plásticas e corte-as em pequenos círculos, do tamanho de moedas de R$ 1. Depois, fure o centro dos discos com a ponta do prego aquecido com a chama da vela. Corte os canudos coloridos em pequenos pedaços.

O segundo passo é a montagem do cordão. Com 50 cm de náilon em mãos, faça a mistura entre canudos e os discos de plásticos. Tampas de garrafa pet também podem ser usadas como miçangas. Depois de completado o cordão, dê um nó e pronto. Um colar havaiano ecologicamente produzido está pronto para a folia.