Oficina de Artes da Emlur expõe peças na Feira do Empreendedor

Por - em 48

Quem visitar o stand da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) na Feira do Empreendedor do Sebrae vai se surpreender com o que é possível produzir a partir do lixo. Mais de 30 peças produzidas pelos artesãos e artistas plásticos da Oficina de Artes da Emlur ,a partir de materiais recicláveis, estarão em exposição no evento que está sendo realizado no Espaço Cultural José Lins do Rego até a próxima segunda-feira (05).

O stand da Emlur mostrará aos visitantes e aos expositores da Feira a importância de se repensar o uso dos recursos ambientais, destacando que a reciclagem de materiais é algo possível e de responsabilidade de todos. “As pessoas verão que é possível dar uma nova vida útil ao material que se joga no lixo e transformá-lo em arte”, disse o diretor da Oficina de Artes, Roberto Carvalho.

Papel, papelão, alumínio, plástico e vidro dão vida a peças de arte e decoração, móveis e até brinquedos. Muitas foram especialmente confeccionadas para a exposição. São bonecas, bailarinas, peixinhos, navios, iates, luminárias, cestas e vasos de decoração feitos com papel, papelão, tinta e muita criatividade. Borboletas de papelão e flores confeccionadas a partir de garrafas pet enfeitam o stand com colorido e alegria.

Materiais como isopor, cabos de vassoura e até latas de tinta originaram sofás, baús, poltronas e centros nas mãos habilidosas dos artesãos da Oficina de Artes. CD’s velhos se transformaram em porta-retratos modernos.

Segundo a diretora de Departamento de Valorização e Recuperação de Resíduos Sólidos (Devar), Elma Xavier, a participação da Oficina de Artes no evento tem um caráter educativo e de sensibilização para as questões ambientais. “Com a exposição das peças produzidas pela Oficina de Artes, chamamos a atenção das pessoas com relação à responsabilidade sócio-ambiental da coleta seletiva e da separação adequada do lixo”, disse.

De acordo com a diretora, um dos problemas das grandes cidades é a geração do lixo. “Os cidadãos devem se responsabilizar pelo lixo desde seu momento de produção. Devemos ter a preocupação de consumir bens que possam ser reciclados e de separar o lixo seco do úmido”, afirmou.