Oficina de leitura encerra módulo no auditório da Bica, sexta-feira

Por - em 18

As Oficinas de Incentivo à Leitura ‘Uma janela para o mundo’ encerram na sexta-feira (18) mais uma temporada de atividades referentes ao terceiro módulo. O encerramento vai ocorrer a partir das 14h no Auditório Jequitibá, do Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), numa promoção da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

O terceiro módulo das oficinas atendeu 75 crianças e jovens de três bairros, sendo realizadas no Centro de Cidadania do bairro de Mandacaru; na Escola Aruanda, no Bancários, e na Escola Anayde Beiriz, do Bairro das Indústrias. A programação do evento conta com um sarau poético e um recital onde os jovens vão apresentar os resultados das atividades.

Com o título de ‘Uma janela para o mundo’, a oficina que percorre diferentes bairros da cidade desde o início de 2007, com o objetivo de difundir o hábito da leitura e proporcionar a crianças e adolescentes a magia que o mundo dos livros pode oferecer ao desenvolvimento intelectual e humano de cada participante.

Retrospectiva – Na primeira etapa das oficinas participaram cerca de 90 crianças e jovens. Já na segunda, foram atendidos 100 alunos e neste terceiro módulo mais 65, totalizando mais de 250 pessoas atendidas diretamente, proporcionando aos moradores das comunidades beneficiadas um contato mais direto com o mundo da leitura e as suas diversas possibilidades. As comunidades atendidas no período foram Mandacaru, São José e bairros dos Novais, Bancários e das Indústrias.

A professora e mestra em Literatura, Jacileide Sousa, ministrante da oficina que aconteceu na Escola Aruanda, no Bancários, revela as suas impressões sobre a iniciativa. “O 1º módulo da oficina de leitura ‘Uma janela para o mundo’ do ano de 2008 foi mais uma grande oportunidade para a descoberta de um novo mundo de leitura prazerosa, de músicas e poesias que no dia-a-dia não são contempladas, infelizmente”, observou.

A ministrante relata ainda a importância desse contato direto das crianças e jovens atendidos com a leitura. “Estamos no período da conquista de novos saberes e sabores e não podemos dizer que crianças de oito ou nove anos não gostam, por exemplo, da música ‘Trem das cores’, de Caetano, se elas nunca ouviram. As crianças da Escola Aruanda do Bancários gostaram de ouvir e pediram para repetir”, informou.