Oficina de vassouras da Emlur reutiliza cerca de três mil garrafas pet por mês

Por Ângela Costa - em 410

Aproximadamente três mil garrafas do tipo pet são reaproveitadas, a cada mês, na oficina de vassoura ecológica da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), no Bairro do Roger. Com essa quantidade, é possível fabricar artesanalmente 250 vassouras que são utilizadas na varrição da Capital, sendo uma contribuição importante na preservação do meio ambiente e na economia interna da Autarquia.

“É uma ação sustentável, uma vez que reaproveitamos um material que leva aproximadamente 100 anos para se decompor, caso fosse destinado ao Aterro Sanitário ou na natureza”, disse Lucius Fabiani, superintendente da Emlur.

Segundo Josué Peixoto, coordenador da Coleta Seletiva, as vassouras de pet são mais resistentes do que os vassourões de piaçava, convencionalmente utilizados na limpeza pública. Enquanto as vassouras tradicionais têm durabilidade de um mês, a ecológica chega a quatro meses. As vassouras produzidas pela fábrica são incorporadas ao trabalho diário de varrição da cidade, também reduzindo os gastos do setor de compras do órgão.

Os equipamentos têm capacidade de produzir em torno de 20 peças por dia, utilizando 12 garrafas pet cada vassoura. Na produção, apenas a parte do meio da garrafa é utilizado, as extremidades são repassadas pela Oficina de Arte da Emlur ou para os catadores das associações de material reciclado.

“A Emlur tem grande potencial para desenvolver projetos sustentáveis que buscam caminhos viáveis para o melhor aproveitamento de materiais descartados. Além da Oficina de Vassoura, Oficina de Arte, temos também a Usina de Beneficiamento de Materiais da Construção Civil – Usiben, que produz material utilizado na pavimentação de vias na Capital”, reforça Peixoto.

Etapas da fabricação da vassoura ecológica:

  • Retira-se o rótulo da garrafa pet, corta as extremidades e lava;
  • Coloca na máquina para produzir os fios;
  • Em seguida, os fios passam para bobinas quadradas e são levados para o forno por dez minutos, em seguida colocadas na água para receber um choque térmico (esse processo faz com que os fios fiquem rígidos);
  • Depois os fios são cortados em feixes;
  • Posteriormente, os fios são socados em cepa (base da vassoura);
  • Para finalizar a peça, acrescenta o cabo de madeira.