Oficina eleva auto-estima de mulheres com HIV/AIDS

Por - em 51

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promoveu nesta terça-feira (31) a primeira ‘Oficina de auto-estima para mulheres vivendo com HIV/AIDS’. Durante todo o evento foram realizadas vivências e discussões para aumentar a auto-estima das mulheres participantes.

Segundo o diretor do Centro de Testagem e Aconselhamento em DST/AIDS e chefe da seção DST/AIDS, Roberto Maia, melhorar a auto-estima das mulheres que vivem com o HIV é melhorar a qualidade do tratamento. “Quando elas estão bem com a auto-estima, tomam o medicamento com regularidade e vivem melhor”, comentou.

“Melhorou minha vida participar destas atividades. O meu conhecimento, a estrutura da minha vida. Agora estou preparada para enfrentar o preconceito e ajudar outras mulheres, que como eu vivem com o HIV”, relatou Maria (nome fictício).

Maria disse ainda que descobriu que estava com o HIV há seis anos, quando fazia o pré-natal de filhos gêmeos. “Perdi meus filhos e descobri que estava com AIDS. O pior é que meu ex-marido me passou a doença e tanto ele quanto a família sabiam que ele tinha o vírus e nada me falaram. Por sorte, meu atual marido não pegou. Minha família me apóia, não tem preconceito, mas não é todo mundo que sabe da minha condição de cidadã vivendo com HIV”, disse.

Cida (nome fictício) também descobriu há seis anos que convive com o HIV. Ela disse que hoje é uma mulher feliz, que sabe conviver com a doença. “Antes não era assim. Esse grupo de mulheres, que se reúne e pode conversar sem medo de preconceitos, é muito bom para minha auto-estima. Os remédios também são uma bênção, porque sem eles eu não estaria vivendo com saúde e disposição”, comentou.