Oficinas inserem jovens no contato diário com a leitura

Por - em 67

Durante três meses, as oficinas “Uma Janela para o Mundo” e de “Incentivo à leitura” conseguiram envolver cerca de 90 crianças e jovens dos bairros de Mandacaru, São José e Novais na prática da leitura como uma atividade prazerosa, buscando o encantamento poético e o envolvimento com a literatura. Esta oportunidade só foi possível graças a um convênio entre o Ministério da Cultura e a Fundação de Cultura de João Pessoa (Funjope).

Na última sexta-feira (21), esses jovens puderam mostrar tudo o que eles aprenderam. Eles organizaram um ‘sarau’ poético, no Conventinho e vivenciaram a leitura compartilhada, despertando a afetividade com o livro. Yuca Santos é uma deles. Com apenas 10 anos e estudante da quinta série do Escola Municipal Senador Ruy Carneiro, na comunidade de Mandacaru, ela disse que descobriu o gosto pela leitura. “Essa oficina mexeu com alguma coisa que tem dentro da gente, acho que são os sentimentos. Agora eu não tenho vergonha de ler alto e nem de falar em público”.

Aluno da sexta série, Raul Wesley de Oliveira, de 13 anos, espera poder freqüentar as oficinas mais vezes. “Eu gostei muito dessa oportunidade porque aprendi muita coisa sobre as culturas do meu bairro e da minha cidade. Por isso eu gostaria que isso nunca acabasse pra gente poder sempre se encontrar pra ler e brincar de fazer poesias”, contou.

O escritor e poeta Ronaldo Monte esteve presente na tarde da sexta-feira passada em uma das salas do Conventinho para assistir a apresentação do resultado das oficinas e disse que ficou emocionado com o que testemunhou. “A minha emoção impede que eu faça uma avaliação objetiva, mas diante do que estou vendo esses jovens estão tendo a oportunidade de fazer a opção entre um livro ou uma arma. Neste, o livro se torna uma arma contra o mal e a pobreza”, comentou.