Onze agremiações fecham desfiles do Carnaval Tradição na Capital

Por - em 49

Onze agremiações fecharam o terceiro e último dia dos desfiles do Carnaval Tradição 2008, que aconteceu na avenida Duarte da Silveira. O público lotou as arquibancadas, se espalhou pela avenida e participou ativamente do evento, aplaudindo e dançando.

A primeira a desfilar foi a ‘Escola de Samba Independentes de Mandacaru’, que carrega as tradições da cultura popular como a nau-catarineta, o boi-bumbá, a lapinha, o coco-de-roda, a ciranda e outras expressões culturais.

A ‘Tribo Indígena Flecha Negra’ foi a segunda a desfilar e arrancou aplausos do público até na área da dispersão. Depois foi a vez do ‘Clube de Orquestra de Frevo São Rafael Frevo e Folia’, que desde 1996 desfila no Carnaval Tradição.

A ‘Tribo Indígena Xavantes’, fundada em 1961 no Bairro dos Novais, desfilou suas cores características: o amarelo, o vermelho e o branco. O ‘Clube de Orquestra de Frevo Piratas de Jaguaribe’ veio na seqüência exibindo no colorido das roupas os tons tradicionais de preto, branco, amarelo e vermelho.

As tribos indígenas ‘Tabajara’ e ‘Tupinambᒠmostraram a riqueza da cultura com imensos cocares, ‘dança da morte’ e outros rituais e foram seguidas pelo ‘Clube de Orquestra de Frevo Bandeirantes da Torre’. Os desfiles foram encerrados com a ‘Tribo Indígena Papo Amarelo’, a ‘Escola de Samba Resplendor’ (que levou o tema das favelas para a avenida) e a ‘Tribo Indígena Tupi Guarany’.

Público e estrutura
– A Federação Carnavalesca de João Pessoa (Fecaj) calcula que aproximadamente 30 mil pessoas tenham passado pelo local dos desfiles nos três dias. O evento é promovido pela Prefeitura da Capital (PMJP), através de sua Fundação Cultural (Funjope).

Foi montada toda uma estrutura de apoio para o evento, com arquibancadas, áreas de apoio para o júri, os organizadores das escolas e para a imprensa. Banheiros químicos masculinos e femininos foram disponibilizados para o público. Durante o desfile agentes de trânsitos garantiram o isolamento da avenida e guardas municipais, além de seguranças privados, fizeram a segurança da área.

O Carnaval Tradição é o desfile oficial da Capital realizado desde 1918, quando participava apenas a tribo indígena ‘Africanos’, do Bairro da Torre. Em 1930, surgiram várias outras agremiações e foram divididas nas categorias ‘Tribos Indígenas’, ‘Clubes de Orquestra’ e ‘Escolas de Samba’. Este ano, 37 agremiações participaram do desfile, sendo dez tribos indígenas, seis clubes de orquestra e cinco escolas de samba, além de 12 ‘a la ursas’, três ‘batucadas’ e o bloco de arrasto ‘Maracahyba’.

Premiação – O concurso premia as três agremiações melhores colocadas em cada categoria, com R$ 3 mil para as campeãs das escolas, clubes e tribos; R$ 2.500 às vice-campeãs e R$ 2 mil para as terceiras classificadas. Já nas categorias ‘A la ursa’, ‘Batucada’ e ‘Bloco de Arrasto’, a premiação é de R$ 2 mil para a campeã; R$ 1.500 para a vice, e R$ 1 mil para a terceira colocada, respectivamente.

Apuração – As campeãs do Carnaval Tradição serão conhecidas nesta ‘Quarta-feira de Cinzas’ (6), a partir das 17h, no Largo de São Frei Pedro Gonçalves, localizado no Centro Histórico pessoense. O ‘Desfile das Campeãs’ acontece no sábado (9), a partir das 18h, na avenida Duarte da Silveira.