Sabadinho Bom tem Orquestra de Câmara e Regional Carioca

Por - em 97

O Sabadinho Bom deste final de semana vai antecipar as comemorações do Dia Nacional do Choro e fará uma programação especial. Neste sábado (21), a partir das 12h, na Praça Rio Branco, o público presente poderá assistir a duas atrações. Uma delas é o grupo Regional Carioca, do Rio de Janeiro, que lançará no evento o seu segundo CD. A outra é a Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa (OCCJP), com a participação dos solistas Marco César, João Paulo Albertim e Renan Felipe. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Quem primeiro se apresenta no Sabadinho Bom é o Regional Carioca, um dos mais jovens conjuntos de choro do Rio de Janeiro. A missão do grupo, criado em 2002, é dar continuidade ao trabalho dos conjuntos Época de Ouro, criado pelo bandolinista Jacob do Bandolim em 1964, e Regional do Canhoto, da década de 40, ligado ao cavaquinista Canhoto.

A integrante e uma das fundadoras do grupo, Ana Rabello (cavaquinho), espera que esse seja o primeiro de vários shows na Capital paraibana. “É uma honra e uma alegria muito grande poder mostrar um pouco da nossa música em João Pessoa, terra em que nunca estive, mas que é como se conhecesse, até com certa intimidade, por ser a terra dos meus avós. Que seja a primeira de muitas”, comentou.

O Regional Carioca é formado ainda por Tiago Souza (bandolim), Julião Rabello (violão de sete cordas), Rafael Mallmith (violão), Glauber Seixas (violão) e Marcus Thadeu (pandeiro). No show deste sábado, o grupo vai lançar seu segundo CD, cuja proposta é registrar apenas choros de compositores contemporâneos, mas mantendo a forma mais tradicional de se tocar o gênero. Estão no repertório músicas como “Flor de Laranjeira” (Antonio Rocha), “Evocação” (Rubens Leal de Brito), “Ainda me recordo” (Pixinguinha) e “Cinco companheiros” (Pixinguinha).

O primeiro CD do Regional Carioca foi lançado em 2005 pela Acari Records. O repertório do álbum foi inteiramente dedicado à obra do bandolinista Joventino Maciel, um dos preferidos de Jacob do Bandolim.

Orquestra de Câmara homenageia o choro – Antecipando as comemorações do Dia Nacional do Choro, cuja data oficial é em 23 de abril, a Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa (OCCJP) vai apresentar um repertório especial, voltado ao gênero genuinamente brasileiro. No repertório estão músicas de compositores como Radamés Gnattali, Patápio Silva, Waldyr Azevedo, Jacob do Bandolim, entre outros nomes conhecidos nacionalmente. A regência é do maestro Carlos Anísio.

De Radamés Gnattali Suite, a OCCJP executará a “Suíte Retratos”, para bandolim e grupo de choro e cordas. O solista será Marco César (bandolim), com participações especiais de João Paulo Albertim (cavaquinho), Ginga (violão de sete cordas) e João Vitor (pandeiro).

Nas músicas “Primeiro Amor” (Patápio Silva), “Naquele Tempo” (Pixinguinha e Benedito Lacerda) e “Espinha de Bacalhau” (Severino Araújo), a Orquestra de Câmara contará com a presença do solista Renan Felipe (flauta). Já o solista João Paulo Albertim (cavaquinho) vai acompanhar a execução de “Grandes Lições” (João Paulo Albertim e Marco César), “Pedacinho de Céu” (Waldyr Azevedo) e “Doce de Coco” (Jacob do Bandolim).

Dia Nacional do Choro – o Dia Nacional do Choro é comemorado em 23 de abril. A data é uma homenagem ao nascimento de Pixinguinha. O artista é considerado um dos exponenciais da música popular brasileira, em especial, do choro.

O choro entrou na cena musical brasileira a partir de meados do século 19. Nessa época, os nomes que se destacavam eram Callado, Anacleto de Medeiros, Chiquinha Gonzaga e Ernesto Nazareth. O gênero mesclava elementos da música africana e europeia, sendo executado principalmente por funcionários públicos, instrumentistas das bandas militares e operários têxteis. No século 20, começou a leva de chorões, compositores, instrumentistas e arranjadores. Entre eles, o destaque foi Pixinguinha.