Orquestra de Câmara inicia temporada com projeto Novos Solistas

Em 0 42

A temporada de concertos da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa (OCCP) começa com o projeto Nossos Solistas, neste domingo (4), no Cine Banguê do Espaço Cultural, a partir das 17h. O músico que vai mostrar seu talento neste final de semana será o violinista Rodrigo de Almeida Eloy Lobo. A realização do evento é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

A primeira edição do projeto Nossos Solistas aconteceu no ano passado com o objetivo de exaltar os talentos encontrados dentro da própria orquestra. Rodrigo de Almeida Eloy Lôbo é natural de João Pessoa, onde iniciou seus estudos de violino em 1994, aos três anos de idade, com o professor Ademar Rocha, no Centro Musical Suzuki. Em 2004, entrou no curso de extensão da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), sob a orientação do professor Hermes Alvarenga. Durante a sua trajetória, já participou de diversos festivais nacionais e internacionais.

No programa da OCCJP para o domingo está a execução da Abertura nº. 1, do pianista e compositor brasileiro Oswaldo Lacerda (1927-2011). O repertório inclui ainda o Concerto para Violino e Orquestra em Ré Maior (Ópera 35), de Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893), além da Sinfonia nº. 1 em Dó Maior (Ópera 21), de Ludwig van Beethoven (1770-1827).

OCCJP – a Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa iniciou suas atividades em 2001, como um projeto ligado à Secretaria Municipal de Educação e Cultura e coordenado pelos professores Gustavo de Paco de Gea e Leopoldo Nogueira. Tinha por objetivo, inicialmente, estabelecer um novo espaço para a formação de jovens músicos oriundos das escolas de música da cidade.

A partir de 2005, a OCCJP se vinculou à Funjope como um grupo sinfônico camerístico estável e de forte atuação. Desde essa época, assumiu um importante papel na cena cultural de João Pessoa, participando integralmente das ações desenvolvidas pelo órgão e fazendo apresentações voltadas ao público escolar da rede pública de ensino na Capital.

Depois de 2011, a OCCJP passou a ser regida pelo Maestro Carlos Anísio e gerida por um conselho artístico, que implementou novos formatos de atuação. Foram abordados concertos temáticos e comemorativos, projetos especiais, além das séries Nossos Solistas e a didática.